sexta-feira, 15 de maio de 2015

Uma Surra na Val

Vou começar falando da Valquíria, casada com um primo meu.
O fato é que o corno batia na mulher.

O casal era meu vizinho e um dia ela chegou chorando no meu portão. Me pediu pelo amor de Deus que deixasse ela ficar lá em casa até o Armandinho se acalmar, que ele tinha lhe dado uns tapas e estava embriagado e ameaçando matá-la.
Tive pena da coitadinha e disse que poderia ficar, que ali ninguém ia tocar um dedo nela.

- Obrigada, Aurélio - ela me respondeu, tomando com as mãos trêmulas o copo d’água que eu tinha ido pegar na cozinha.

- E cadê ele? - perguntei.

- Saiu pra beber mais...
Depois que ela se acalmou, perguntei o que acontecia, qual o motivo da surra dessa vez.
- O de sempre: ciúme; esse homem tem tanto ciúme de mim que fica imaginando absurdos.

- Mas algum motivo tu deu.


- Num dei, não. Juro que não dei.
Olhando pra Valquiria, uma mulher jovem, gorda, branca e bonita, era fácil entender por que meu primo sentia tantos ciúmes. Aquilo era uma delícia de mulher. E só andava toda decotada, com vestidos caseiros moles que delineavam um bundão avantajado e empinado. Eu mesmo era tarado naquela abundância.

- Até parece que sou mulher traideira, viu...

- Mas andaram falando umas coisas de ti por aí...

- E é pra acreditar? Conversa de fofoqueiras...

Perguntei se ele lhe tinha batido muito dessa vez. E ela me respondeu mostrando os braços grossos e bem torneados. Estavam vermelhos de levar cintadas. Nessa hora, a coitada começou a chorar de novo. Fiquei com uma dó! Fui consolá-la sentando junto dela no sofá.

- Vou falar com o primo... isso não se faz... que covardia!

- E ainda tem mais, viu... olha o murro que ele me deu. Me diz se não tá roxo...

Ela puxou o decote do vestido junto com o sutiã . Saltou pra fora um pedaço do peito grande e branco. Vi com água na boca a auréola inchada e o bico marrom saliente. Tinha mesmo uma mancha roxa marcando a pele. Comentei, indignado, que aquilo já era caso de polícia. Prometi que ia ter uma conversa séria com meu primo.
Depois de me mostrar a mancha no peito, levantou a barra do vestido pra eu ver os vermelhões nas coxas.

Então apareceu um pouco da calcinha.

- Olha aí o que animal fez comigo... tudo cintadas que ele me deu...

- Mas isso não se faz...

Enquanto ela apontava as tiras vermelhas, toda chorosa, eu olhei pro meio das pernas dela e vi o monte da buceta e a racha aparecendo na calcinha. Cheguei mais perto ainda e puxei o vestido. Ela deixou, calada. Apareceu uma lingerie branca e rendada. Dava pra notar uma buceta peluda e gorda. Babei vendo aquilo. Estava com a cueca já arrebentando de tesão.

- Tadinha... está toda marcada... - eu disse e fui passando a mão pelas coxas dela.
Subi e peguei de cheio no bucetão. Apertei com gosto. Ela soltou um suspiro desesperado e veio com tudo pra cima de mim, me beijando. Quando nos afastamos, ela não perdeu tempo e na maior pressa do mundo abriu meu zíper e caiu de boca na rola já tesa.

Chupou gostoso, mas eu queria outra coisa. Tinha uma tara na mulher do meu primo e aquela era a minha chance.

Conduzi a puta pelos cabelos e a fiz ficar de quatro no sofá. Ela tinha jogado a calcinha longe, doida pra dar (ou pra se vingar do marido?).

- Teu marido come teu cu? - perguntei passando saliva na cabeça do pau.

- Já comeu... eu gosto. Vem...

Valquiria ficou de rabão empinado, apoiando as mãos no encosto do sofá.
Abri suas nádegas e passei saliva também no seu cu. Ela suspirou e jogou a bunda mais pra trás. De pé, por trás dela, encaixei a ponta da rola na rodelinha e empurrei. Quando senti as pregas cedendo, ela abriu a boca a gemer, a me xingar e pedir que eu socasse mais fundo, doida de tesão. Meu pau escorregou molhado. Foi socando, indo e vindo, alargando o anel daquele cu delicioso. Bombei contra a bunda da safada, apertando os peitos inchados de tesão. Comi aquela bunda me esforçando pra não gozar logo. Mas depois de uns minutos metendo sem parar, o tesão chegou ao limite e eu esporrei no fundo.

- Assim eu fico apaixonada, Aurélio...

A puta brincou comigo, enquanto se vestia pra sair.

- Cuidado que agora ele tem um motivo sério pra te matar.

- Não tem importância; com você vale a pena arriscar.

Ela disse e saiu sorrindo, rebolando o rabo.

Claro que depois não ficamos só naquilo. Até pouco tempo atrás a mulher do primo vinha aqui em casa sempre que ele a espancava, segundo ela, sempre sem motivos. 



(J. Kifure)

domingo, 3 de maio de 2015

Ay Papa...Como surgiu a Família Harvey - 1ª Parte

Como todos sabem, eu adoro Hqs, Mangás,Hentais...
Adoro histórias em quadrinhos sacanas.
Vejo muito da Siren, pelos sites de quadrinhos...
Hoje trago um que o assunto é tabu: Incesto.
Nem todo Mundo gosta. Mas, a maioria curte o assunto. Não sei dizer se pelo proibido ou tabu.
Nessa postagem, trago criado pela Jabcomix, um dos mangás mais famosos: Ay Papa.

Ay Papa, mostra a história de uma família muito , mas muito safada por sexo!
E não há somente incesto entre pai e filha, há traição, mãe com babá, meninas com meninas, Ménage e etc rsrs
Quem não conhece, tenho certeza que vai gostar...caso gostem, farei como fiz há um tempo atrás na Casa de Anita. Sempre trazendo quadrinhos eróticos para vocês...

Aproveitem o domingo e divirtam-se!!! rsrs

Esse conta como Papai Richard Harvey conheceu sua ninfomaníaca mulher Claire...



Continua...

Espero que tenham gostado...logo trarei a continuação.

Beijos carinhos e doces!

Ayesk@

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Ménage à trois...

Fala sério, sexo é bom demais e todo Mundo gosta!!!
E cada um tem as suas preferências: do mais romântico ao mais hardcore.
Um amigo meu, andou se queixando de sua vida sexual com a sua esposa...Ele tem um grande apetite sexual, e sua esposa não dá conta.
Uma das suas fantasias sexuais é o ménage a trois...sexo a três...ele, sua esposa e uma outra mulher...
O que acho engraçado, é que muitos Homens tem essa Fantasia, costumo dizer que 99,99% sonham com isso...mas, se você disser e que tal eu, você eu um outro Homem???
A maioria chiaaaaaa....kkk

Mas, foi pensando nesse meu amigo que darei algumas dicas...
Antes de mais nada, alguns fatores para se pensar antes de apimentar a relação com um sexo a três.

- Preparar o terreno:
 Converse com sua parceira, antes de propor. Veja as possibilidades e preferências. E não insista, se ela não quiser...Entenda que se sua mulher for cheia de tabus e preconceitos, acrescentando uma dose ainda de ciúmes...vai ser complicado!

A prática vai dar certo se sua esposa for curiosa ou sentir atração por uma mulher.

E o mesmo serve para os Homens.
Apesar de a maioria não curtirem a ideia de dividir a cama com outro macho peludo, alguns mergulham de cabeça, afinal, por mais homossexual que a ideia possa parecer, os dois não precisam necessariamente se tocar ou interagir entre si; o que vale mesmo é dar prazer para a parceira ou não?


Apesar da prática ser mais comum que muitos pensam, algumas pessoas ainda tem receio, acham bizarro, ou medo de que o parceiro ou parceira os comparem ou até mesmo se envolvem emocionalmente.
Se seu(ua) parceiro(a) não for bem resolvido sobre isso, espere mais um pouco e tente explorar seus limites e sentidos.

Sim, meu amigo chega a babar em imaginar uma cena dessa! Duas mulheres fazendo-lhe sexo oral...isso o deixa maluco de tesão! E sua esposa, sequer imagina...rsrs

E as mulheres? Acham que algumas não sonham também com algo assim?

ou assim???

Enfim, num relacionamento a dois, para esse ménage rolar, há algo primordial...ele e sua esposa tem que estarem em total sintonia, intimidade e o principal de todo e qualquer relacionamento; que inclusive é uma das bases até de uma relação BDSM.

- CONFIANÇA!




Beijos carinhosos e doces!

Ayesk@

Mulheres que curtem, gostam , transam com Mulheres



Sexo, Amor entre Mulheres...
Uma das coisas que mais escuto um Homem falar, é o tesão que sente em ver ou imaginar duas mulheres transando...
Tenho amigas heteros que não aceitam, discriminam a relação entre duas mulheres...
Eu , particularmente sempre fui mente aberta e aceito as pessoas como são.
Acho que cada um deve viver como quer e como lhe faz feliz.

Hoje, vou falar algumas coisas que aprendi nesse Universo e tenho amigas que amo que são Lésbicas ou Bissexuais...eu iniciei na Adolescência no sexo com uma garota e foi muito gostoso...rsrs
Só deixou de ser gostoso, quando ela se apaixonou, e tinha ciúmes de mim...

Alguns termos usados em uma relação entre Mulheres, no sexo.



- O que é Tesoura?
é uma posição em que duas mulheres encostam as vaginas, estando viradas cada uma para um lado, entrelaçando-se as coxas. Já experimentei e confesso, é uma posição extremamente gostosa, intensa, e íntima...se gozei? Sim, gozei...



Ou como escrevi em um dos meus contos...Briga de Aranhas rsrs


Um amigo meu, uma vez me disse que ver duas mulheres transando era uma obra de arte, pois era assim que ele via o corpo de uma mulher...


- O que é fistar? 
é simplesmente inserir quatro dedos, depois o polegar, dentro da vagina de uma outra mulher... É sexo lento, carinhoso, e de uma conexão extrema. E uma das principais fontes de orgasmo.


E tanto em uma relação hetero ou não, o tesão, a excitação, a lubrificação são importantes para que tenham prazer...

Já ouvi falar que as Mulheres sabem fazer um sexo oral melhor que Homens...
Assim como tem Homens que acham que ter um pau grande e grosso é melhor...
Nada disso!
O sexo tem que saber fazer, tem que saber tesar, saber excitar...simples assim...
Uma vez li um depoimento, de uma mulher que estava perplexa, pois havia tido o maior orgasmo da sua vida, com um cara baixinho e não tão bem dotado. Que o sexo oral foi o melhor da sua Vida!
Já gosto não se discute, tesão não se discute...o que te tesa pode não me tesar...e vice-versa.
Assim como tem mulheres que só curtem e sentem prazer no anal, há aquelas que só curtem e gozam para valer no vaginal...


Mas, voltando ao tópico ...
Muitos acham que ser lésbica, tem que ter uma mulher masculina, o termo usado "sapata".
Agora pergunto, ser ativa, passiva ou relativa, importa???

O que seria uma lésbica ativa, uma passiva e uma relativa?
A “ativa” seria aquela lésbica que assume uma postura dita mais “masculina” durante o sexo, tocando e dando prazer à parceira, e muitas vezes não se deixando ser tocada. Ou, numa linguagem mais “popular”, ativas são as que “comem”. As passivas seriam aquelas que são tocadas pela parceira, assumindo uma postura dita “feminina”, ou seja, são as que “dão”. E as relativas (ou flexíveis) são as que assumem os dois papéis, ou que na verdade não vêem diferenciação entre os dois, permitindo-se tocar e serem tocadas sem maiores problemas...



Algumas mulheres se dizem “ativas” porque nas vezes em que tentaram se “entregar” para as namoradas se sentiram muito femininas e frágeis. Outras não se permitem ser “ativas” porque se sentem masculinizadas ao tocar a parceira, penetrá-las com os dedos ou com acessórios, já que este seria um papel “masculino” ou de Homem.
Já outras, a escolha por ser ativa ou passiva é simplesmente uma questão de gosto, identidade ou os dois, e aí não tem jeito...mas, como costumam dizer: "Cada tampa tem sua panela"...rs



No final, o que vale em qualquer tipo de relação, seja ela qual for...é a Felicidade!
E não devemos de forma alguma nos privarmos do prazer por causa do que a Sociedade nos impõe...e como costumo dizer...que jogue a primeira pedra quem não tem esqueleto no armário...



Beijos carinhosos e doces!
E aproveitem bem a noite! E término de feriado...

Ayesk@

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Caindo na Cilada do Jornaleiro

Quando eu era uma menina, gostava muito de brincar com uma amiguinha na calçada da rua em frente a minha casa. Todos os dias, depois da escola, ao entardecer, eu e minha querida Joelma nos divertíamos pulando elástico. Quando não estava comigo, a minha diversão era ficar lendo revistinhas em quadrinhos sentada no degrau da calçada.
O tempo passou, crescemos e ainda gostávamos de pular elástico. Os “cuecas de plantão” ficavam ao redor, olhando pra gente. Meus peitinhos crescidos, de mamilos bicudos marcavam o tecido, e pulavam debaixo da blusa. Pra saltar melhor, eu puxava o shortinho pra cima e enfiava ele ainda mais na bunda. Claro que me sentia linda e admirada, mas não tinha noção da maldade nos olhares dos meninos e nem nos dos homens da rua.

Um dia, ao voltar da escola, vinha triste porque minha querida Joelma tinha se mudado pra outra cidade fazia pouco tempo. Passei na banca de jornal da esquina e perguntei ao jornaleiro se tinha gibi de super-heróis. Ele respondeu que sim, me chamando pelo nome, Sabrina. Fiquei surpresa porque nem conhecia o coroa.

- Como o senhor sabe meu nome?

- Eu moro ali na outra rua, detrás da sua. Passo todos os dias e vejo você brincando com sua amiga. Cadê ela que não vejo mais?

- Ela foi embora pra outra cidade...

- Ah! é uma pena... vocês eram muito amigas, não eram?

- Sim... estou com muita saudade dela...

E foi assim que comecei a falar da minha amiga e da saudade que sentia. Aquele homem que eu nem conhecia foi me ouvindo e me consolando. Até que o tio da banca era bem legal! Me disse que se chamava Artur e que me achava muito linda. No final da conversa, já me sentia “best friend” dele. E, pra minha surpresa, ele ainda me deu de graça as revistinhas que eu queria. Fiquei um pouco bolada com tantos presentes, mas ele explicou que eram revistas com defeito e que poderia levar todas se quisesse. Claro que eu aceitei! Dei tchauzinho pro meu novo amigo e fui pra casa rindo à toa.

Depois daquele dia, não precisei mais comprar revistas. O seu Artur me dava tudo de graça. E toda vez que ele passava e me encontrava na calçada, tinha um presentinho pra mim.

Na segunda feira de tarde, estava eu sentada no mesmo lugar de sempre, lendo distraída. Eu usava uma saia curtinha e minhas pernas estavam bem relaxadas e abertas. Ainda era desajeitada e acostumada a me sentar de qualquer jeito. Percebi a aproximação de alguém e levantei os olhos por cima da revista. Fiquei alegre por ver que era o seu Artur. Mas logo notei como ele olhava bem pro centro das minhas coxas escancaradas.

A minha calcinha estava aparecendo toda e ele insistiu em ficar olhando pra ela, entortando a cabeça como se quisesse adivinhar o que ela ocultava. Pela primeira vez percebi que era uma moça e que não podia me sentar daquele jeito na frente de um homem. Imediatamente fechei as pernas. Ficamos em silêncio por algum tempo. Só depois nos cumprimentamos.

Muito sem graça, perguntei se ele tinha revistinhas pra me dar. Ele respondeu que tinha umas bem legais em sua casa. Perguntou se eu gostaria de ir buscar com ele. Achei que não tinha nada de mais nisso. Então levantei e fui.

Chegando à casa, entramos e ele me disse pra esperá-lo sentada ali no sofá da sala. Depois desapareceu no corredor. Demorou um pouco e, quando voltou, trazia algumas revistas, mas ele se cobria apenas com uma toalha enrolada na cintura. Achei aquilo estranho. Era esquisito ver o tio da banca daquele jeito, exibindo o peito nu e cabeludo. Mas como ele era um cara legal e eu já o conhecia, não me importei.

Ele se sentou pertinho de mim. Fiquei nervosa. Já ia me preparando pra ir embora. Agradeci pelas revistas, mas ele me disse que aquelas eram pra eu ler ali mesmo, que eu não poderia levá-las comigo. Mesmo perturbada, resolvi ficar. Me acomodei e me encostei no sofá com as revistas no colo.

Ao escolher uma delas, descobri horrorizada que eram pornográficas. Caraca! O que era aquilo??! Eu nunca tinha visto nada parecido na vida! Só foto indecente! Fiquei envergonhada vendo os homens peladões de pau duro. E o seu Artur ali do lado, observando... putz! Eu estava muito constrangida.

Mas também não conseguia parar de olhar pras imagens, cada uma mais escandalosa que a outra. Fui folheando em silêncio. Aquelas cenas absurdas saltavam das páginas direto pra dentro de minhas entranhas e me davam um tipo de pânico que nunca tinha sentido. Queria abandonar tudo e sair correndo dali, mas ao mesmo tempo estava presa pela curiosidade. Apesar de assustada, queria ver tudo, tudinho mesmo.

- Você já viu um desses de verdade? o coroa me perguntou apontando pra um enorme pênis na revista.

- Claro que não!!

- Já teve vontade de ver?

- Seu Artur, acho que já está na hora de ir embora!

- Calma, minha filha! Não vá ainda! Tem muita revista pra você ver aí...

O caos estava instaurado dentro de mim. O homem ao meu lado só de toalha... já estava arrependida de estar ali sozinha com ele. Mas sentia minha calcinha muito molhada, escorrendo umidade até pra minha bunda. Eu já estava bastante confusa e fiquei mais ainda quando ele me perguntou:

- Quer que eu te mostre meu pau?

Mal acreditei que ele estivesse me dizendo aquilo. Fiquei sem reação. Mas eu olhava pra toalha que o cobria e via como ela estava levantada e se mexia entre suas pernas. Putz! Me deu muita vontade de ver o que se escondia debaixo daquela toalha, muita mesmo!

- Acho que você ficou louquinha pra ver, heim!! ele adivinhou.

- Que é isso, seu Artur?!

- Vamos combinar uma coisa? Eu te mostro meu pau e você me deixa ver seus peitinhos. O que acha, heim? Deixa eu ver se são durinhos...

O coroa falou isso e já veio puxando a minha blusa pra cima. Tentei evitar, mas ele arrancou a blusa de uma vez, com força, e meus peitos apareceram com os bicos durinhos. Me assustei com a atitude dele e tapei os seios com os braços.

- Mas assim não dá pra ver nada, menina! Você não quer ver meu pau, não?

Fiquei calada de cabeça baixa, mas olhando pro enorme volume na toalha que não parava de se mexer. Eu estava louquinha de vontade de ver, mas não tinha coragem de dizer.

- Levanta! Fica aqui na minha frente. Deixa ver se são bonitos...

Estava muito nervosa, mas levantei e fiquei de frente pra ele. Tentei cobrir meus peitos, mas ele segurou e afastou meus braços com força. Acabei cedendo e meus peitinhos reapareceram. Ele ficou olhando, admirado. Então me puxou mais pra perto de si. Sem que eu esperasse, abocanhou um dos mamilos e chupou forte, me dando uma sensação muito gostosa. Senti o interior da minha prexequinha pulsando como um coração. Depois passou pro outro mamilo. O cara estava pirando nas mamadas, sugando e gemendo. Deixei que ele chupasse um pouquinho, pois era muito gostoso.

Eu nem imaginava que o seu Artur fosse um cara tão safado. Depois de sugar meus seios, não me deu tempo; levantou minha saia até a cintura e puxou minha calcinha pra baixo, até os pés. Quis mexer na minha xoxota.

- Não, seu Artur! eu gritei, me protegendo com as mãos.

Ele insistiu, agarrou meus pulsos e abriu meus braços.

- Calma! Só vou ver, menina!

Estava muito nervosa, com medo, mas não conseguia resistir ao coroa, que sabia se aproveitar do meu tesão e da minha inexperiência.

Relaxei os braços e deixei que ele ficasse me olhando nua. Minha xoxotinha peluda estava bem perto da cara dele, já toda molhada. O safado queria mesmo era pegar nela.

Reclamei quando ele a tocou. Ele me ignorou. Começou a afagar meus pêlos, me deixando mais relaxada. Depois senti seus dedos deslizando na minha fenda. Ela estava exalando um odor muito forte, um cheiro de buceta suada e melada que me deu até vergonha. Só que o coroa ficou foi mais maluquinho. Se ajoelhou diante de mim. Enfiou o nariz nos meus pêlos e começou a lamber meu grelo, que estava durinho. Foi lambendo tudo como um cachorro, chupando o melado que escorria, enfiando a língua, lambendo meu o selinho.

Nessa hora, minha xota já latejava gostoso e as pernas bambearam. Ele continuou devorando minha xaninha como se fosse uma suculenta manga madura, a língua nervosa e insistente no meu grelo. Comecei a me contorcer de tesão. Ele ficou me prendendo, sem me deixar escapar, me puxando pela bunda. Minha xoxota inchada, parecia que ia explodir de tesão. Minha respiração ficou ofegante, e a bucetinha começou a dar umas trancadas descontroladas, contraindo sem parar na boca dele. Estava gozando.

Ele parou de me chupar. Esperou que eu me recuperasse e comentou alguma coisa que nem lembro.

Quando voltei ao normal, vi que ele estava rindo. Depois levou a mão à toalha e apertou o volume. Sorriu pra mim mais sacana. Disse que agora ia me mostrar. Eu estava sendo uma menina boazinha e merecia ver a pica dele. Nesse instante abriu a toalha. Caraca! o safado estava mesmo mostrando o pau pra mim! Fiquei chocada olhando pra aquela coisa, a chapeleta vermelha e brilhosa... era estranho, mas atraía meu olhar.

- Gostou, menina? ele perguntou com o mesmo sorriso sacana. E ficou apertando o tronco do pau e balançando descaradamente. As veias incharam e me causaram uma impressão ainda mais estranha.

- Deixa eu te ensinar mais uma coisa, ele disse de repente.

Levantou-se, deixou a toalha cair e me obrigou a sentar no sofá. Eu nem conseguia mais raciocinar. Tudo que ele mandava eu ia fazendo, aflita, mas sentindo a bucetinha se molhar ainda mais.

- Agora me chupa! ele disse, me segurou pelos cabelos e encostou o pênis nos meus lábios.
Virei o rosto.

- Eca! seu Artur! Num faço isso não!! assim vou embora!

Mas o coroa tarado insistiu e insistiu. Ficou tentando me convencer de que eu ia gostar, que eu precisava aprender essas coisas. Quando percebi, ele já estava me convencendo.

- Já quero ir embora, seu Artur!

- Chupa só um pouco que eu deixo tu ir.

- Num quero!

- Anda!! chupa ou vou perder a paciência!!

Falou isso com energia. Me assustei com seu tom de voz. Tive mais medo naquela hora. Indecisa, fiquei olhando pra rola dura apontando pra mim. Ele me forçou de novo e o pau entrou na minha boca. Senti o gosto de um homem pela primeira vez. Como eu podia estar fazendo aquilo?! Nem sei explicar! Só sei que fui fazendo como ele ensinava e aprendi rápido. Comecei a achar muito gostoso ter aquela tora de carne na boca, bem quentinha e macia. Eu tinha a sensação de que estava fazendo uma coisa muito errada, mas era bom demais. Descobri que tinha tesão em mamar um homem.

Chupei com ele me segurando firmemente pelos cabelos. Suguei aquela rola sem parar. Ele ficou trêmulo, gemeu alto, puxou meus cabelos com mais força. Quando percebi, estava com a boca cheia. Putz!! Gozou na minha boca, me pegou de surpresa jorrando “aquilo” direto na minha garganta. Juro que nem esperava que fosse sair nada dele! Engoli um monte de esperma sem querer e cuspi o resto. Minha língua ficou toda empastada e grudenta. Reclamei e xinguei, mas o filho da mãe ficou rindo da minha cara de nojentinha.

Em seguida ele me disse, ofegante:

- Engole tudo da próxima! Agora deita! quero passar meu pau nela!

- Não mesmo!! Isso de jeito nenhum, você já fez tudo que quis comigo! quero ir embora!

- Quem disse que fiz tudo?! Deita que vai gostar. Prometo não te machucar.

- Promete?

- Prometo!! Só vou encostar.

- Tá bem! Mas rapidinho, preciso ir embora.

Deitei de barriga pra cima com as pernas abertas. Ele se posicionou e começou a pincelar a minha xoxota, já toda babada. Senti um tesão louco, muito tesão mesmo. Minha xoxota estava inchada e latejando, mas não queria ir além daquilo, não queria fazer, não queria deixar acontecer, não era pra ele me penetrar, não era!!!

Encaixou a cabeça da pica na minha prexeca e eu gritei:

- NÃOOO!!

Ele continuou com seu pau encaixadinho forçando ainda mais.

- Fica quieta, relaxa!!

- Não! Isso não.

- Para com isso, Sabrina!! se continuar desse jeito, vou contar pra todo mundo que você é uma putinha que chupa gostoso!!

E me segurou com força e empurrou seu pau na minha buceta. Comecei a chorar. Não queria perder minha virgindade. Doeu, mas queria sentir o pau dele dentro, queria gozar mais uma vez, mas não queria que ele me penetrasse. Estava em crise, queria, não queria...pedi mais uma vez:

- Não, por favor!!

- Ahhh!!...delícia de bucetinha apertada!! é só a cabecinha! Agora fica quieta!!

E socou com força tentando enfiar tudo até o saco de uma só vez. Senti uma dor descomunal. Não tinha como entrar, não havia passagem pra um pau tão grande e grosso. Chorando, comecei a gritar. Disse que, se eu continuasse a gritar, ia me machucar.

Aproveitando-se do meu medo, me calou a boca com uma de suas mãos, e continuou empurrando seu pau na minha prexeca. Empurrava, bufava como um animal em cima de mim. A dor era demais. Senti rasgando quando a cabeça entrou. Ardeu, doeu demais. Ele gemeu de tesão. Seu pau aos poucos ia preenchendo a bucetinha invicta até ocupá-la por completo. Senti que estava sangrando.

Então, me domando com força, o jornaleiro safado socou com violência. Meteu com vontade seu pau duro feito uma rocha, arrombando minha bucetinha. Eu chorava, as lágrimas saíam de meus olhos descontroladamente, mas minha buceta correspondia às estocadas de meu invasor. O tesão me tomava por inteiro, estava consumida pela dor e pelo prazer.

Ele socava fundo. Doía, mas também sentia um prazer alucinante. As estocadas foram ficando cada vez mais intensas. Não me dei conta de que esfregava meu grelo teso no homem que me violava sem dó. Serpenteando embaixo dele, senti meu coração disparar. Minha respiração se tornou curta e rápida. Senti no meu corpo todo os reflexos daquelas contrações alucinantes vindas de minhas entranhas.

Que ódio!! Minha prexeca começou a gozar sem o meu controle, pulsando em cadência no pau do homem que me violentava. Ele sentindo minha xota contraindo em seu pau, gozou feito animal dentro de mim. Senti seu pau pulsando e o leite quente derramando dentro dela...

Ele me disse:

- É pra você aprender a não entrar na casa de um homem sozinha. Se veste e vai embora...amanhã te como de novo!! Minha putinha safada!!!


Sabrina Costa 

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Pegada!!! Eu gosto e você?


Eu gosto de ser tratada com respeito e carinho, mas...
Na hora do Sexo, uma boa pegada não faz mal...rsrs
E esse é o tema de hoje!

O que vem a ser um Homem de Pegada?

Um homem de pegada, consegue te envolver e te seduzir em todos os sentidos!
É aquele Homem que sabe o que quer...
Percebe seus desejos e te deixa louca de tesão!!!



Na hora do sexo, quero alguém que saiba me excitar, que me deixe ofegante, que me faça contorcer de tesão, que me deixe com as bochechas quentes e vermelhas, com meu sexo úmido, com o coração disparado!

Que me puxe, que me abrace forte, pega meu corpo e envolve com o seu, que percorre meu corpo com suas mãos, beijos de língua, palavras safadas ou picantes; que me arrepiem de prazer e que me excitem a ponto de melar a calcinha! 
(Oras, o que tem ser aberta e falar sobre sexo, sobre sensações e prazer? Sexo é bom demais , ainda mais bem feito, com pegada!!!) rs

Quero ele com tesão também, quero ouvir sua respiração ofegante, sentir suas mãos em minha nuca, mordidinhas no pescoço, e puxando meus cabelos...

E não importa onde for...

E fica a dica para os apressadinhos...rsrs
Sexo não egoísta, não é gozar e pronto...
Depois do Orgasmo, que tal abraços, beijos, carícias, elogios, afinal depois do clímax, deixamos de ser uma fêmea gulosa, voraz, libertina para ser acarinhada, cuidada...
Agora se vêem o sexo apenas como algo sem sentimento, só meteção...não leiam essa postagem...

Pois ser um Homem de Pegada é fazer com que a mulher se sinta desejada, satisfeita e realizada, mesmo que não tenham um relacionamento.
Mesmo que no dia seguinte, você não ligue e deixou claro que foi apenas uma pegada ou ficada de uma noite...
Afinal , tudo tem que ser de comum acordo e sem enganação.

Deixo umas imagens para se deliciarem e quem sabe inspira-los a uma pegada!!!





Carpe Noctem!

Ayesk@

domingo, 19 de abril de 2015

BDSM e Hqs...

Kim Possible amarrada e amordaçada...detalhe no piercing no mamilo...

BDSM : 
"Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo" 

Não entrarei em detalhes sobre BDSM, nessa postagem...
Esse estilo de Vida tão diferente e hoje tão comentado devido alguns livros e filme (cof, cof,)rsrs
Não sou fã dos 50 tons...sorry!!!

E mudando de assunto, vamos dar uma espiadinha nessas HQs???

Quem diria...uma gatinha para o Batman!
Detalhe do Homem-Morcego onde a Bat-Girl bebe seu leitinho!!!

Joker (Coringa) adora amarrar a Mulher-Gato...mas...

Arlequina as vezes gosta de mostrar seu lado Dominadora...
E não apenas em garotas, mas em seu Amado Joker (Coringa) também!!!

Mulher-Maravilha curtindo a "Dominatrix" Super-Girl com seu strap on! rsrs

Mais um lado do Joker(Coringa) que nunca mostraram e haja chicotinho hein, Domme Arlequina???

Mas, depois ele vai a desforra!!!
E coitadinha da Bat-Girl...fica toda vermelhinha!!!
Bad ou Good Girl???

E pelo visto, Spiderman (Homem-Aranha) as vezes pune Mary Jane com boas palmadas!!!rs

Uiiii... isso deve doer...coitadinha da Bárbara Gordon, o que será que ela aprontou para Batman curtir um spanking nela???

...e dando uma voltinha pelos arredores da cidade pré-histórica dos Flintstones, deparei-me com essa cena...rsrs

E dos Contos de Fadas...Branca de Neve!!!

Mas, até você...Pernalonga!!!

E termino deixando uma vilã...
Arlequina.
e uma heroína Mulher-Maravilha amarradas...rsrs
Quem será que sairá dessa primeiro???

Carpe Noctem!
Beijos doces

Ayesk@