sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Princípio...

 Princípio
 
  E ele nu na lividez dos lençóis
  Completamente nu
  Despudoradamente nu.
  E ela reverente ante a nudez
  Venerando-o
  Contemplativa
  Sôfrega de pele
  Gulosa de corpo.
  Falou-lhe numa língua feita de gestos
  Cheiros e sabores.
  E a língua era a língua que falava
  E a língua era língua que criava
  E despertava novas palavras
  Novos odores
  Novos cheiros
  Novos sabores.
  E ele quieto de tão vivo
  Quieto de tão atento
  Ansioso de ouvir
  Ávido de saber.
  Despudoradamente nu
  Deslumbrantemente corpo.
  Beijou dele o nome antes de o beijar
  Enrolou-o na boca
  E deu-lho.
  E dando-lhe o nome tornou-o eterno
  Nova palavra
  Novo verbo
  Razão
  E princípio.

~ Encandescente~

Nenhum comentário: