quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Um carinho de Camill@Proez@Miller....Carlos Drummond de Andrade.



Todos os dias recebo vários carinhos e mimos da Camill@, nos conhecemos no "Clube dos Contos"; ela é uma pessoa maravilhosa, nem sempre nos falamos no msn, mas , ás vezes trocamos e-mails.
Desde que resolvi me dedicar ao Blog, o meu dia a dia que já é corrido, ficou mais agitado...
Eu já sou agitada por Natureza...rsrs e confesso que as vezes preciso recarregar as baterias, porque não paro!
E não tenho tanto tempo disponível...tenho vontade de visitar todos os Blogues e comentá-los todos os dias, mas, infelizmente não dá tempo...
Hoje ao abrir alguns e-mails do meu Hotmail, encontrei esse enviado pela Camill@, e a ruiivnha se derreteu...pois carinho sempre me derrete...
E acompanhado de poemas de um poeta como Carlos Drummond de Andrade...aaaa pessoal é MQDTB!!!
- Camill@, amiga querida, obrigada pelo carinho, obrigada por suas palavras de força , amizade quando eu estava uns tempos atrás trsiste...Obrigada por deixar-me fazer parte do seu círculo de Amizades e principalmente Obrigada Amiga, por exisitir enm minha vida, mesmo virtual!!! Beijos doces carinhosos da ruivinha que te admira e te adora!


Mais um mimo da Camill@....Adorei!!!









Ainda que mal

Ainda que mal pergunte,
ainda que mal respondas;
ainda que mal te entenda,
ainda que mal repitas;
ainda que mal insista,
ainda que mal desculpes;
ainda que mal me exprima,
ainda que mal me julgues;
ainda que mal me mostre,
ainda que mal me vejas;
ainda que mal te encare,
ainda que mal te furtes;
ainda que mal te siga,
ainda que mal te voltes;
ainda que mal te ame,
ainda que mal o saibas;
ainda que mal te agarre,
ainda que mal te mates;
ainda assim te pergunto
e me queimando em teu seio,
me salvo e me dano: amor.







Fácil e Difícil

Falar é completamente fácil, quando se tem palavras em mente que se expresse sua opinião...
Difícil é expressar por gestos e atitudes, o que realmente queremos dizer.

Fácil é julgar pessoas que estão sendo expostas pelas circunstâncias...
Difícil é encontrar e refletir sobre os seus próprios erros.

Fácil é fazer companhia a alguém, dizer o que ela deseja ouvir...
Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer a verdade quando for preciso.

Fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre a 
mesma... 
Difícil é vivenciar esta situação e saber o que fazer. 
Fácil é demonstrar raiva e impaciência quando algo o deixa irritado...
Difícil é expressar o seu amor a alguém que realmente te conhece.
Fácil é viver sem ter que se preocupar com o amanhã...
Difícil é questionar e tentar melhorar suas atitudes impulsivas e as vezes impetuosas, a cada dia que passa.

Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar...
Difícil é mentir para o nosso coração.

Fácil é ver o que queremos enxergar...
Difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto.

Fácil é ditar regras e,
Difícil é segui-las...









As coisas que amamos

As coisas que amamos
as pessoas que amamos
são eternas até certo ponto.
Duram o infinito variável
no limite de nosso poder
de respirar a eternidade
Pensá-las é pensar que não acabam nunca,
dar-lhes moldura de granito.
De outra maneira se tornam absoluta
numa outra (maior) realidade.
Começam a esmaecer quando nos cansamos,
e todos nos cansamos, por um outro itinerário,
de aspirar a resina do eterno.*
Já não pretendemos que sejam imperecíveis.
Restituímos cada ser e coisa à condição precária
rebaixamos o amor ao estado de utilidade.
Do sonho eterno fica esse gozo acre
na boca ou na mente, sei lá, talvez no ar"








AMOR E SEU TEMPO

Amor é privilégio de maduros
estendidos na mais estreita cama,
que se torna a mais larga e mais relvosa,
roçando, em cada poro, o céu do corpo.

É isto, amor: o ganho não previsto,
o prêmio subterrâneo e coruscante,
leitura de relâmpago cifrado,
que, decifrado, nada mais existe

valendo a pena e o preço do terrestre,
salvo o minuto de ouro no relógio
minúsculo, vibrando no crepúsculo.

Amor é o que se aprende no limite,
depois de se arquivar toda a ciência
herdada, ouvida. Amor começa tarde.






Carinho de Camill@Proez@Miller

Um comentário:

Ayesk@ (Selene) disse...

Sempre me torno repetitiva...mas é a verdade...
Ainda não me acostumei com esse carinho, com as dedicatórias, com as mensagens, enfim...
Fico derretida, olhos com água, e sem graça!!!
Esse carinho me deixa muito feliz!!!
As vezes, meus dedinhos falam sem pensar...mas, meu coração é uma manteiguinha que se derrete à toa...

- Camill@, ao ler esse e-mail hoje, me deixou muito feliz...
As vezes, quando algo nos faz falta; nos sentimos triste por alguma razão, ler algo assim é um bálsamo para alma e coração!
Obrigada pela sua Amizade e pela sua ternura com a Ruivinha.
Beijos doces carinhosos e um abraço apertado!

Da sua ontem, hoje e sempre Amiga,

Ayesk@