domingo, 12 de junho de 2011

Sabor de Chocolate













Foi você quem começou. 
Foi você, teus comentários e essa maneira de olhar-me.
Você e eu no apartamento, somente nós dois com o pote de sorvete, sentados no sofá. De repente teus lábios tocam os meus sem avisar-me. Tua boca tão fria por causa do sorvete quer começar a viajar, mas você pára e me olha diretamente nos olhos, como se quisesse me dizer alguma coisa, mas não diz nada e eu sei, sei o que deseja, pois também desejo a mesma coisa.
Meus lábios se aproximam dos teus, contudo sem tocá-los, quero olhar nos teus olhos por dois segundos e responder a sua pergunta muda, quando começa a desabotoar os botões de minha blusa, um por um, muito lentamente, mas não a tira.
Nada faço, além de olhar nos teus olhos, sinto que minha respiração começa a se agitar. Espero impaciente a sua próxima ação que parece demorar uma eternidade. Seus lábios se aproximam de minha orelha, mas não diz nada, sentir sua respiração me faz imaginar coisas impossíveis. Tira totalmente minha blusa e meu sutiã.
Começa a beijar meu pescoço descendo pouco a pouco até meus seios, se distrai ali, com tua língua, teus lábios sugando meus mamilos. Agora volta a olhar nos meus olhos outra vez e sorrio, tentando dizer-te que não quero que pare por aqui.
Te empurro suavemente e monto sobre ti, agora é você quem sorri, na expectativa do que vou fazer. Te beijo, não tão pacientemente, mordo ligeiramente seu lábio inferior, quando sinto sua mão que começa a explorar dentro de minha calcinha, apertando minha bunda, empurrando-me mais contra ti, mas me afasto um pouco para tirar-lhe a camiseta.
Neste momento me lembro do sorvete e decido incluí-lo no nosso joguinho. Você não sabe o que pretendo fazer e me olha assombrado.
- O que vai fazer?
- Verás num instante.
Sinto que em silencio me diz; continua, continua. Você enfia o dedo no pote de sorvete e o passa na minha boca, meus lábios se juntam aos teus. Sinto tua língua se enroscando com a minha, agora com gosto de chocolate. Não espero e passo um pouco de sorvete sobre seus ombros, um calafrio instantâneo lhe percorre o corpo e minha boca desfila sugando a massa gelada, mas esta começa a deslizar pelo seu peito, escorrendo até seu umbigo. Continuo lambendo, beijando de vez em quando, descendo pouco a pouco e quando o sorvete termina, passo mais sobre sua barriga. Eu sinto que está cada vez mais excitado, até o momento em que me suplica para fazer mais rápido, mas não, quero te fazer sofrer um pouco também, como fez comigo há instantes. Me ajoelho no chão e lentamente começo a abrir sua calça, olho para seu rosto, você suspira. Te ver assim é divertido e excitante ao mesmo tempo, sinto que sou eu quem tem o controle e isso me excita ainda mais, me excita também sentir seu corpo tremulo enquanto tiro sua calça e acima de tudo quando despejo um pouco de chocolate aí, na glande, que escorre pelo falo duro e ereto, onde espera que comece a lamber...e eu, eu demoro um pouco em fazê-lo, mas começo a saborear o sorvete, lentamente no principio, mas acelerando pouco a pouco, até que o envolvo totalmente, fazendo com que solte um longo gemido, sinto sua mão alisando meus cabelos, afastando-os, porque quer ver o espetáculo.Pouco a pouco vou diminuindo, não deixo que se satisfaça totalmente, me levanto rapidamente para montar novamente sobre você, mas você me empurra no sofá e tira minha calcinha que desliza suavemente pelas minhas pernas, enquanto você beija minhas coxas. Sobe através do meu corpo até minha boca que te chama. Fecho os olhos, te beijo e percebo que sua mão está no pote gelado e logo seu dedo muito frio entra em mim, depois sua língua na minha vagina me faz arquear as costas de tanto prazer e gemer suplicando para que não demore muito, porque preciso de algo mais forte, mais quente, mas você demora em obedecer-me, passa mais sorvete e isso me desespera ainda mais, sua língua no meu intumescido clitóris me deixa louca, te desejo ardentemente. O fogo me queima por inteira e te suplico mais uma vez. Sinto sua língua subindo pelo meu corpo, pára novamente nos meus seios, morde meus mamilos e continua subindo até minha boca. Nesse momento te sinto entrar em mim, lentamente e te peço para fazer mais rápido, mais forte e você o faz de maneira frenética, selvagem, isso me inflama e você mete cada vez mais forte, a cada vez que ouve meus gemidos sinto que me penetra mais profundamente, estou sem controle agora.E assim, fora de controle, sinto o orgasmo aflorar, inflar seu pênis e isso me transporta para um mundo de extase. Não pára de se mover sobre mim até instantes depois quando o prazer é tão grande que não pode mais suportar e sinto o líquido quente me inundando, me enchendo de prazer e loucura, tudo com sabor de chocolate.

* Texto escrito originalmente em língua espanhola por Dayo Li, a pedido de uma amiga que o postou em sítios latinos.
 

Escrito por : Dayo_li
Postado por Ayesk@

Nenhum comentário: