segunda-feira, 6 de junho de 2011

Prazer a Dois



  
Esse mês, é mês dos Namorados.
Mês da paixão, do tesão, do amor, tudo que une dois seres humanos apaixonados.
E se você estiver na companhia da sua paixão, do seu tesão, fazendo amor...
Me diz tem coisa mais gostosa, mais tesuda, mais apaixonante que dois corpos entrelaçados, apaixonados, em sintonia?
Amor, Sexo, Tesão...Aquecendo corpos, corações disparados, respirações ofegantes...
E a dança mais antiga e prazerosa do Mundo!!!
Enquanto estou aqui, pensando...eis que...
Sinto duas mãos fortes em meus braços, um corpo grande e morno apertando firmemente o meu.
A ponta de um dedo segura o meu queixo e direciona meu rosto , até que meus olhos encontram os seus.
Surpresa com a sua chegada, não consigo dizer nada, porque sua boca desce sobre a minha e o Mundo ao meu redor escurece, e sou só sensações em seus braços.
Os golpes de sua língua, exigem que abro avidamente os meus para sua exploração.
Minha boca se abre macia, quente e nossas línguas duelam pelo controle.
Nossas línguas dançam, saboreiam num beijo ritmado com carícias longas.
Sinto seu tórax tenso contra os meus seios enviando-me ondas elétricas de choque.
Ofego com o contato.
- Isso...meu amor...dê-me mais... – voce sussurra contra os meus lábios.
Você não tem que pedir...eu quero dar...
O calor do seu corpo contra o meu, explode em fogo em minhas coxas internas.
Eu gemo baixinho e você ri.
A palma de sua mão pega a curva superior do meu bumbum, apertando-me em um abraço.
Deliberadamente, você me beija.
Beijos até meu queixo, indo para minha mandíbula, para cima da minha orelha.
Uma mordiscada no lóbulo de minha orelha e a excitação borbulha dentro da minha buceta.
- Gostosa... – você murmura, sua respiração morna abaixo da minha orelha.
Meu corpo se esfrega sinuosamente de um lado para outro.
Cruzo meus pulsos atrás do seu pescoço, e choramingo baixinho, não de forma consciente, mas, porque estar assim com você, parece deliciosamente divino.
Eu anseio por voce.
Inclinando-me em seus braços, colo-me completamente em você, enquanto seus quadris circulam e eu me encontro pulsando; a buceta úmida. Arqueio mais meu corpo, gemo com o primeiro contato ao sentir sua ereção dura apertando contra meu clitóris inchado, aumentando a minha necessidade, me queimando de dentro para fora.
– Amor, você está tão quente e molhada. Eu posso sentir através da minha calça jeans.
Te olho e vejo a tempestade de paixão nublando seus olhos.
Voce me olha e nem espera que te responda, simplesmente me ergue em seus braços e me leva.
Passo meus braços ao redor dos seus ombros fortes e meu rosto aninhado em sua garganta, meus lábios e dentes beliscando sua pele com mordiscadinhas.
Estou enlevada em seus braços, que não noto que me leva ao banheiro, apóia-me contra o azulejo frio da parede.
Sua boca desce sobre a minha novamente em um beijo exigente. Voce emoldura meu rosto dentro de ambas as palmas.
Minha buceta se contrai, quente , mais umidade escorrendo, quando sua língua cava fundo, tateando, roçando, saboreando a profundidade dela.
Seu pau, pulsando, comprimindo sua ereção contra minha barriga, como brasa quente. Eu dobro meus quadris, buscando a carne rígida atrás de sua calça jeans.
Todo meu desejo acumulado vem para vida, forçando-me a renunciar uma sedução lenta. E a luxúria me leva diretamente ao desespero.
Eu querendo que voce arranque minhas roupas e coloque um fim à minha tortura.
Como se voce soubesse o que anseio, me aperta mais de encontro ao seu corpo. Um gemido sai da minha garganta quando voce empurra minhas costas para a parede mais uma vez, enroscando seus dedos na bainha da minha saia. 
Impaciente, voce torce a saia mais alta, desnudando minhas pernas e o tecido que nada cobre minhas dobras delicadas.
– Ah...gostosa...tesuda...
Seus dedos por dentro da minha calcinha, movendo abaixo até que voce encontra minha buceta úmida e quente.
– Oh...putinha gostosa...minha putinha...diz que é só minha...
– Uh huh...sim...sua putinha...só sua...sua...para o seu, o meu, o nosso prazer...
Não posso falar outra palavra coerente quando voce esfrega seu dedo polegar repetidamente contra meu inchado clitóris.
De repente, ouço o tecido de minha de calcinha ser rasgado e cair.
O ar fresco de encontro com a minha inflamada carne.
Voce se curva para baixo e aperta a ponta do meu clitóris entre seus dedos.
O mel inunda minha buceta, preparando-me para sua posse.
Pego em seu cabelo com ambas as mãos, arrastando voce para mim, persuadindo-o a tomar mais.
– Ahhh...amor... por favor...
A ponta de sua língua na carne do meu clitóris, depois nas dobras macias e meladas, me deixam completamente mole.
– Mais...gostosa?
– Ohhh..Sim...! Mais!
Arfando, inclino-me contra os azulejos frios.
Meu corpo queimando totalmente ao quere-lo mais e mais.
– Quer meus dedos dentro de voce?
Dois dedos próximos das minhas dobras, longe das minhas internas profundidades.
Um gemido e lágrimas piscando em meus olhos.
– Ou, você quer qualquer outra coisa...meu amor?Peça...Implore...
Só consigo movimentar a cabeça, um resmungo baixinho é o único barulho que consigo fazer.
– Minha vara, amor? Você quer isto? Bem dentro de você?
Sinto você deslizando seus dedos sobre meu clitóris, deixando em minha carne rastros de fogo.
– Por favor...meu amor...
Sussurro.
Num instante, você envolve seu corpo contra o meu.
Sua mão trabalha depressa, sacudindo o botão de suas calças e abrindo o zíper. Minhas mãos arrastam suas calças para abaixo de seus quadris.
Impaciente , voce empurra a cueca de algodão para fora do caminho.
Voce pega a base, corre sua mão para cima e para baixo.
– Abre essas coxas para mim...meu amor...sou seu dono e senhor...
Sua voz rouca de tesão, me arrepia tanto quanto ao imaginar ser possuída por voce.
Abro minhas pernas para cada lado e minhas mãos descem para toca-lo. Embalo meus dedos sobre seu pau, mas não consigo fechar completamente.
Minhas paredes internas se convulsionam ao imaginar sua vara trabalhando fundo e forte dentro de mim.
Sinto um calafrio de expectativa saindo para fora do meu útero, e aperto sua pulsante vara firmemente em minhas mãos.
Voce tira sua vara de minhas mãos e guia diretamente para minhas dobras inchadas. Com sua outra mão, pega minha coxa e ergue minha perna, colocando-a em seu quadril. Cruzo minha panturrilha ao seu redor e mais abaixo.
No seu próximo movimento, sinto a ponta da cabeça inchada de seu membro, seu pau se movendo contra minha abertura, mas não entra.
Minha respiração ofega com sua provocação e sinto a cabeça agora fustigando meu centro.
– Veja como sua buceta melada está cobrindo meu pau?
– Você é tão quente, e eu estou queimando totalmente...gostosa...
Seu balançar dos quadris, faz com que seu pau acaricie os nervos tensos da minha buceta.
Quase grito ao sentir simples toque. A frustração e a urgência enroscam junto até que eu não queira nada além de voce dentro de mim.
– Amor! - chamo num apelo.
– Veja-me possuir você. – diz em tom de comando.
Um tremor em meu corpo do topo da minha espinha até as pontas dos meus dedões dos pés.
– Agarre-se em mim.. meu amor.... Eu não posso esperar muito mais tempo...
Ávida por você, minhas unhas cravam-se em seus braços.
– Foda-se, ah inferno, amor... Eu tenho que…
Os músculos da minha buceta exigente enpalam seu pênis imediatamente.
A meio caminho, você vai e volta, me fodendo de maneira funda com forte estocada.
– Muito apertadaa..aaa...., muito quente....aaa totosaaaaa...
Voce entra e sai do meu corpo em movimentos rápidos e fortes, sua pélvis agressiva contra a minha, que o acolhe apertando-o dentro de mim.
A largura do seu pau estira-me quase para o ponto de dor
Com um gemido ofegante:
– Você é pequena....amor.... Eu não quero machucar você....mas...aaaa
Ergo minha outra perna, passando ambas as panturrilhas transversalmente acima de seus quadris. Uma de minhas mãos, apertam seu traseiro
– Foda-me..aaaaaaaaaa....gostoso...tesudo...não pare...
Consumida pelo desejo grito o comando. De repente sinto-o girando-me, seu braço atrás ao redor das minhas costas, segurando-me contra seu tórax.Sentada agora na borda do tampo em granito, sinto-o mergulhar mais fundo dentro de mim.
– Ahhhhh...!!! .....
Gemo e voce move-se mais dentro de mim.
– Diga...diga que é minha....diz...
Outro mergulho quando você me puxa abaixo sobre sua ereção rígida.
Preciso senti-lo mais e mais, meu clitóris roçando na base do seu pau.
Aperto minhas pernas e as tranço em volta de você.
Nada...uma folha...um fio...o que quer que seja entre nós dois.
– Sua...sou sua...sua putinha...sua gostosa....sua...só sua...aaaaaaaaa.....
– Sim! Você grita triunfante.
– AÍ, amor, você tem tudo de mim....
Tudo sai fora do nosso controle.
Eu desmorono abaixo, e você cava as pontas dos seus dedos nos ossos dos meus quadris. Voce balança e circula, arrastando-me de um lado para outro, fustigando meu clitóris inchado.
Tento mais e mais achar o ritmo perfeito. Sinto a primeira pequena explosão ricocheteando e não posso segurar meu grito.
– Assimm....isso...gostosaaaaa....tesuda...delicia....aaaa de novo...
Mais apertado e mais apertado você me fode. Meus músculos internos tremem. Outra estocadada selvagem do seu pau, seguida por outra, e perco o fôlego. A vertigem me acompanha quando sinto minha buceta convulsionar.
– Goza...isso..gostosa...goza pra mim...pro seu macho... – você diz entre gemidos.
Tento falar, mas as palavras terminam em um gemido alto.
O orgasmo vem em ondas, uma tempestade de sensações, roubando minha sanidade. Levo a mão para minha boca, evitando gritar mais e mais.
Voce grita bombando dentro de mim, os jatos abrasadores de sua ejaculação derramando-se no mais profundo do meu ser.
Cada pulsação da minha buceta detona outro tremor.
Não consigo conter os gritos e com um mergulho final...amoleço em seus braços.
Voce me acalma. Solta minhas pernas, meus braços em seus ombros enquanto me arrasta, envolvendo-me contra seu peito arfante, firmando-me e mantendo-me segura em seus braços para não cair.
Lágrimas deslizam até minhas bochechas ,nossos corpos suados.
- Agora, meu amor..vamos tomar um banho bem gostoso...e depois de mais um amor gostoso...vamos dormir o sono dos justos, com você deitadinha no meu peito...



 Por Ayesk@

Um comentário:

Yuri disse...

Que sexo violento, querida Ayeska!
Pede para ele gozar na cara!
Você fica louca de prazer.
Beijos do
Yuri