domingo, 29 de maio de 2011

DOMÍNIO: Quando eu gozar, voce Goza! - Selene & Christian II





















A pista de dança estava lotada novamente.
Meus olhos o procuravam, enquanto minha mente denunciava meu ultimo orgasmo solitário durante o banho.
De repente o vi, trajando uma calça jeans, camisa preta.
— Você ainda está vestido, — falei com a voz rouca, denunciando assim o tesão que me invadia.
Ele virou.
— Sim, senhora. —
Sua voz soou diferente, rouca, mais intensa..
— Conserte isso, — retruquei.
Ele não hesitou. Com movimentos rápidos, tirou os sapatos e a camisa. Suas mãos se atrapalharam com o cinto e eu o segurei com os dedos.
— Deixa isso. Pegue suas coisas.
Corri minhas unhas sobre as costas quando ele se agachou para pegar suas roupas e ele engasgou.
— Coloque as roupas lá. — apontei para o cubículo em uma parede bem num canto isolado. Ele obedeceu e ficou descalço, sem camisa minha frente. Eu estava vestida de forma diferente esta noite. Com um colete de couro com amarras que dava uma visão tentadora dos meus mamilos. Uma saia de couro apertada atingindo apenas acima dos joelhos e meias cobriam minhas coxas perfeitas.

Eu levantei meu pé calçado com a bota, e coloquei o salto em seu ombro, enquanto me equilibrava em um pé, e em seguida, enganchei a perna em volta do seu pescoço. Minha mão cavou em seu couro cabeludo e o arrastei até seu nariz ficar enterrado em minha virilha , debaixo da minha saia de couro. Ele inspirou. E quando sua língua passou rapidamente para fora, eu estapeei sua bochecha com a outra mão.
— Eu não lhe dei permissão, Christian.
Minha perna caiu para o chão.
— Você vai remover minha calcinha com os dentes. Nenhum outro toque.
Suor brotou em sua testa enquanto ele arrumava os joelhos para empurrar sua cabeça sob a bainha da minha saia. Ele conseguiu colocar seus dentes no tecido sentiu minha umidade. Enquanto ele deslizou a calcinha abaixo pelas minhas pernas, eu passei as unhas nas costas dele.
Ele abaixou minhas roupas íntimas sobre minhas botas, e eu levantei um pé e depois o outro. Desajeitado, ele tentou se endireitar. Com minha tanga nos dentes, ele inclinou o queixo para entregar-me. Eu a enrolei, e consegui empurrá-la mais perto do seu nariz antes de jogar de lado.
— Excelente Christian. — entrei na frente dele e engatei minha perna em volta do pescoço dele novamente. — Agora, lamba-me até que eu goze.
Ele tremia um pouco quando levantei minha saia .
Ele passou a língua no interior da minha coxa.
O capuz do meu ereto clitóris tremia. Sua respiração soprou sobre minha pele e suspirei. Ele passou a língua lentamente da minha babada entrada para o clitóris, saboreando meu creme. Ele balançou a ponta da língua sobre meu clitóris em um toque rápido e rítmico. Minhas coxas tremiam e ele aumentou a pressão e a velocidade. Quando eu estava prestes a voar, ele chupou meu clitóris em sua boca e raspou a carne sensível com seus dentes.
 

Gemi, e de repente explodi em sua boca. Era como uma cachoeira de celeste líquido. Ele também gemia enquanto lambia cada gota, apreciando o sabor e o cheiro.
Eu corri a mão pelos cabelos dele em lentos, apertados círculos, enquanto empurrava minha buceta gozada em sua boca e meu orgasmo ia de novo e de novo. Ele olhou para cima, e meus olhos castanhos o estudaram.
— Muito bom. — afastei-me dele devagar. — E você não gozou. Você é um tesouro. — eu sorri levemente.
— Você quer gozar, Christian? — Minha voz era suave e minhas unhas raspavam sobre os seus ombros.
— Se você desejar, Senhora, — ele gaguejou.
— Onde você quer gozar? — perguntei como se estivesse curiosa.— Onde quer que você deseje, Senhora, — disse ele, sua voz rouca.
Eu coloquei a bota em seu ombro e o empurrei. Ele caiu de costas no chão.
Eu puxei suas calças em um movimento forte e seu pau saltou.
Meus saltos bateram enquanto caminhava para uma caixa de preservativos no canto e até mesmo a ação de rasgar o pacote aberto, foi sexy e erótico. Cantarolava uma música enquanto deslizava a borracha sobre sua carne rígida. 




 
De repente, eu levantei a bainha e empalei meu corpo sobre seu caralho pulsante.
Arranhei seu peito.
Ele rosnou, um som gutural da parte traseira de sua garganta.
Eu afundei meus quadris com seus curtos, rápidos golpes. Então me inclinei e sussurrei:
— Quando eu gozar, você goza.
— Senhora, — ele gemeu.
— Hum? — murmurei em seu ouvido.
— Posso tocar você? Por favor, Senhora? — Sua voz era baixa e rouca.
— Sim...Você pode. — gemi.
Eu arqueei para trás e ele deslizou os dedos até minha coxa e alcançou o clitóris. Ele pressionou no início, mas depois rolou e levantou o pequeno botão entre o polegar e o dedo indicador, com curtos, destacados apertões. Creme fresco inundou meu canal e pingou sobre suas bolas. Em seguida, meus quadris começaram a rolar mais rápido e mais sobre seu pau. Desesperadamente, ele acompanhou-me sincronizando o apertão sobre meu clitóris, com a ação de seu corpo. Eu fiz um som de lamento que enviou eletricidade por ele e minha xoxota apertou em torno dele em um duro orgasmo. Com mais um impulso para cima, ele explodiu, seu sêmen encheu o preservativo.
Meu corpo convulsionava sem parar em torno dele e ele manteve a fricção em meu canal, até que eu diminui e relaxei. Ele estendeu a mão e colocou-a sobre o coração. O batimento sob sua pele deu-lhe um sentimento de satisfação. Respirações ofegantes diminuindo, meu batimento cardíaco irregular, estava batendo erraticamente como o dele.
Eu ergui meu corpo fora dele e o olhei com os olhos semi-cerrados.
— Você foi excelente! —ajeitei minha saia, peguei minha calcinha e rebolei enquanto caminhava em direção para saída.
- Amanhã à noite. Esteja aqui. Em tempo e pronto para mim.
Os saltos de minhas botas estalando no silêncio que se seguiu. Algumas pessoas, entre homens e mulheres, ficaram em volta de nós, em silêncio, atordoadas.
Minha última visão dele foi ele deitado de costas, olhando para o teto, seu sêmen escorrendo do preservativo que havia afrouxado seu pau, agora que havia gozado.


Continua...



por Ayesk@
Nota: Baseado num Romance Sado.

Um comentário:

Yuri disse...

Malvada, não devia ter parado!
Senhora minha, ´permissão para esporrar na cara!

Yuri