domingo, 24 de abril de 2011

Série - A Verdadeira História das Borboletas - Cap. I
















I. Lady Nina

Derek não tivera muita sorte. Morava numa favela em São Paulo e sonhava em sair de lá quando crescesse. Aos 14 anos, perdeu sua mãe em um acidente de trânsito e seu pai não estava lá para consolá-lo; pois tinha se mandado de casa um ano antes.
A parenta mais próxima era uma tia, Nina, que morava no Rio de Janeiro e foi designada pelo juizado de menores como sua tutora na ausência dos pais.
Nina tinha então 40 anos. Era uma morena de pele queimada de sol, típica carioca. Falava arrastando os “esses” e “erres” de forma marcante o que a deixava com um jeito um pouco malandro. Adorava praia e quase todo dia acordava bem cedo, colocava seu biquíni e ia colocar os pés na areia antes de trabalhar.
Ela não tinha muita grana e pouco via a irmã e o sobrinho por causa da distância. Mantinha contato com a falecida irmã por telefone semanalmente. Mas havia uns 3 anos que não via Derek. De uma hora para outra tudo mudou em sua vida. Sua irmã faleceu e seu sobrinho veio morar com ela.
Deixou claro ao menino que tinha intenção de cuidar dele com todo esforço e carinho até que completasse seus 18 anos. Avisou-o que gostava de ser chamada de Lady Nina.
Derek estava muito assustado com tudo e pouco falava. Limitava-se a acenar que sim ou que não com a cabeça e a executar o que sua tia lhe pedia. Era um menino bom e bem comportado e precisava muito de carinho e apoio.
A tia Nina, agora Lady, não tinha se casado. Saía algumas vezes por semana à noite com amigas e outras vezes com homens. Sempre diferentes. Derek notou que ela chegava de madrugada e cheirando a bebida e a cigarro. Mas não falava nada em respeito.
Uma noite dessas a tia chegou muito mal. Devia ter bebido muito. Entrou no quarto de Derek e a pretexto de saber se estava tudo bem sentou-se na cama ao lado de Derek que dormia. Colocando a mão por baixo da coberta foi tateando até encontrar o pau do garoto. Sentiu pouco a pouco o mesmo enrijecendo em sua mão.
Derek acordou sobressaltado e sua tia lhe fez sinal de que ficasse calmo e quieto. Derek assustado ficou paralisado e Lady Nina puxou a coberta e o short do pijama caindo de boca em seu pinto quase roxo de tão duro. Ela chupou e sugou até que Derek gozasse em sua boca. Lady Nina apagou o abajur e foi embora para seu quarto.
No dia seguinte ambos fizeram de conta que nada havia passado, mas pouco a pouco Lady Nina foi avançando o sinal. Chamava Derek para lhe trazer a toalha no banho que “havia” esquecido no quarto, ou pedia que pegasse um rolo de papel higiênico que havia “acabado” e lhe levasse enquanto estava sentada no vaso.
Até que um dia a coisa engrossou. Lady Nina cismou que daquele dia em dia daria banho em Derek pois segundo ela, ele não estava se lavando direito e não podia com o sobrinho arriscando a ficar doente.
Derek insistiu que não, mas não houve acordo. Naquela noite a tia ordenou que ele tirasse a roupa toda. Como recém tinha completado 15 anos já tinha pêlos em volta do caralho. A tia mandou que entrasse na banheira e ligou o chuveiro começando a enxaguá-lo e detendo-se demoradamente na bunda e no pinto de Derek que logo ficou duro feito pedra.
Ela ensaboou as mãos e esfregava o membro ereto com vigor. Para facilitar o trabalho tirou sua roupa também e foi quando Derek viu algo que o marcaria para sempre: uma borboleta tatuada na virilha da tia. Aquilo lhe deu um arrepio de tesão tão grande que não soube explicar.





A tia percebendo o fez ajoelhar na banheira e ficar de cara para a borboleta. Segurando Derek pelos cabelos empurrou seu rosto com sua vagina já molhada de tesão e o fez lamber seu suco.
Lady Nina gozou muito gostoso e depois abandonou Derek embaixo do chuveiro. Ele demorou algum tempo para se recuperar do abuso que sofrera e ir para sua cama. Não desejava sair de lá tão cedo.
Mas logo a madrugada acabou e um novo dia começava. A tia Nina já provocava logo cedo, mandando-o amarrar seu biquíni para que fosse a praia. Não raro pedia que Derek mordiscasse seus mamilos para ficarem durinho embaixo do tecido do biquíni. Também pedia beijos em sua borboleta.
Até os 18 anos esta foi a rotina de Derek, subjugado pela sua tia, a Lady Nina. Assim que pôde, Derek deixou um bilhete a sua tia dizendo que agradecia por ter cuidado dele todos esses anos mas que agora com 18 anos tinha obrigação de cuidar de si mesmo.
Daria notícias assim que estivesse instalado. Foi para São Paulo na boléia de um caminhão para recomeçar sua vida longe daquele abuso. Sonhava várias vezes com a tatuagem de borboleta de Lady Nina e muitas vezes ela se transformava em uma borboleta de verdade que o perseguia e o ameaçava. Quem sabe um dia se veria livre destas lembranças.

Mal sabia o que o esperava algum tempo depois...








Por DerekDick

2 comentários:

Piment29 disse...

Um pobre garoto ... Teve que descobrir uma coisa tão deliciosa de uma forma tão "brutal" ... Mas eu espero que nos próximos venham notícias mais agradáveis ... Bjus Apimentados e Feliz Páscoa .... =)

Derek Dick disse...

Piment29, leia os próximos capítulos e depois me diga se acha que a sorte virou...rsrs