domingo, 27 de março de 2011

Adoro apostas...




Quando abri a porta juro que pensei duas vezes... Ela parecia apavorada.Tentei lembrar se fazia a mesma cara que ela na minha primeira vez e não contive o riso. Acabei sendo presenteada com uma covinha linda e um olhar sem graça.
Tão menina...Talvez fosse melhor deixar pra lá... Conheci a Rafa num coquetel da empresa, acompanhante de um amigo. Acho que ele tem uma quedinha por ela.
Mas as suas cantadas durante a noite foram horríveis.Dividi a mesa com os dois e acabei virando varias doses de uísque pra agüentar aquelas investidas ridículas. No fundo acho que foi bom,do contrario não teria feito o que fiz.
Nossa chefe é do tipo comandante de batalhão. Daquelas que intimidam e fazem tremer só em bater os olhos. Vai ver foi por isso que o marido pulou fora. 
Mas sabe como são as más línguas...Meu amigo jurou que ela era lesbica,a Rafa duvidou,eu apostei.Creio que a garota tinha bebido tanto quanto eu,ou mais....Já que ela que tinha que agüentar aquele chato no ouvido a noite toda.Disse que poderia pedir o que quisesse se chegasse na xerife.Preciso falar mais?
Liberei o caminho pra que ela passasse e lhe apresentei meu quarto. Confesso que pus meia luz, selecionei boas musicas e aquele típico vinho já nos esperava em um balde de gelo no dorso da cama...Preparei o ambiente para o abate,mas diante daquela postura de presa acuada mudei totalmente de planos.Ela queria ser domada..Convertida...Tudo bem...Adoro joguinhos...

Caprichei no tom autoritário e pedi que ela sentasse na poltrona em que tantas vezes adormeci com um livro no colo. Pedi não, exigi. A garota tremia de ansiedade...De medo..E por mais doentio que isso possa parecer eu estava adorando.Me aproximei como uma loba faminta...De pé me encaixei entre as pernas que voluntariamente ela abriu.Segurei as coxas subindo o vestido floral e me inclinei sobre seu corpo,senti o cheiro cítrico do pescoço primeiro..Minha língua desenfreada correu pra sentir o gosto.
Confesso que quase me perdi naquele pedaço de carne entre o queixo e o lóbulo da orelha. Lambia,sugava,arranhava com os dentes pra depois morder. Subia mais e mais as mãos espalmadas e possessivas pelas coxas morenas.Até encontrar a minúscula peça que meu desejo latente tanto cobiçava...Contive o impulso de tira-la,mas permaneci com a mão por ali,perto o suficiente pra incomodar a minha menina.

Desci a boca contornando os ombros de sardas, lambendo o vale entre os seios antes de me dedicar exclusivamente a eles. Rafaela mesmo pôs os belos para fora do vestido, acho que a urgência havia levado embora a sua timidez ou quem sabe ela tinha apenas medo que eu tirasse a mão de cima da sua calcinha ensopada. Descobri com o lábio o tesão revelado pelos biquinhos duros,fiz questão de colocá-los na boca enquanto via a sua expressão de prazer.Mamava como um bebê esfomeado pra depois dá varias pinceladas lindas e artísticas com a língua.Sentia a sua umidade na ponta dos dedos,o tecido que protegia sua nudez já não era mais uma barreira,então resolvi me livrar dele...

Afastei a rendada pro lado e a penetrei sem rodeios. Vi quando ela fechou os olhos e prendeu a respiração. Fui doce,má,bruta,delicada...Acelerava o ritmo das estocadas quando me dava vontade só para depois diminuir de novo e vê-la choramingar,rebolar na minha mão,buscando inutilmente com os quadris um maior contato.Seu sexo escorria,vermelho,inchado,pressionando os meus dedos e me entorpecendo os sentidos...Não tirava os olhos dos dela,estabelecia assim o meu domínio... Chamando-a de gostosa e expressando nas palavras mais obscenas a aproximação do ápice do meu prazer só por admirar seu corpo assim... Tremulo,suado,a beira do êxtase.
Chupava os seus seios quando senti suas primeiras contrações, os gemidos se intensificaram até culminarem num grito rouco e extremamente excitante. Ela havia gozado.Permaneci com os dedos aonde estavam,só o polegar que procurou o grelo duro e ofereceu carinho,aconchego.Acabei rindo solto quando ela não conseguia acreditar que gozara de novo.Fiquei de pé,abri o botão da calça,desci o zíper e ofereci meu segredo de fêmea para aqueles lábios canudos que Rafaela tinha.

Seu rosto transitava entre confusão e insegurança, mas a vontade falou mais forte e acabei gemendo alto quando senti aquela língua inexperiente em mim. Aquela mulher me despertava sensações enlouquecedoras,vê-la por si só já me provocava espasmos.Sua boca molhada na minha intimidade teve curta duração,explodi num orgasmo tão logo ela encontrou seu ritmo.Rafa chupou tudo que escorria de mim com gula.não resisti a essa cena e tomei seu lábios com fome dando um beijo que seria o primeiro daquela noite.




















Escrito por IrisDeLeao
Postado por Ayesk@

2 comentários:

Eroticamente (In) Correto disse...

Benzadeus, me excitei só de imaginar a cena. Adoraria ser um espectador secreto numa cena tão maravilhosa,...rsrs

Karen disse...

Molhei só de imaginar nolugar da menina, simplismente maravilhoso e gostoso hummmmm