terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Sujos de areia, limpos de alma, repletos de prazer


Sabe, quando você fica com esse vestido florido,leve,no meio das coxas, e caminha assim displicente no fim de tarde pela praça, com essa brisa morna ameaçando erguê-lo, mas jamais concretizando meu sonho, fica ainda mais deliciosa!
Seu olhar clarinho, brilhante, parece distante, mas de um jeito tranquilo. Sabe que quando vejo seus seios arfando naturalmente sob o tecido, sem soutien, me tira toda a concentração? 
Ajeito meus óculos escuros automaticamente, sentado naquele banco afastado, perto do escorregador, do balanço e da caixa de areia, de chinelos e bermuda, colocando a mão no bolso para disfarçar a excitação que me veio ao observá-la vindo em minha direção,lentamente, olhando além de mim. Não vejo nenhum dos passantes; são vultos, a garota de bicicleta, os garotos jogando bola, o casal abraçado...
Sabia que você assim, de frente, o vento empurrando o vestido e destacando os peitinhos durinhos, delineando a xoxota macia,possivelmente raspadinha, gordinha e gostosa, me deixa louco, a pica pulsando, massacrando a sunga , doida pra rasgar a bermuda e entrar em você?
Com uma das mãos afasta os cabelos que caem sobre os olhos e com a outra tenta deter o vestido louco pra subir, que nem meu pau! 
Sorriso tesudo,esse seu!
Será que percebeu o quanto quero te foder aqui mesmo no parque? 
Por falar nisso, é impressão minha ou a tarde está acabando e as pessoas estão indo embora?
Você se aproxima e sorri, olhando pra mim, agora. 
O que faço, me levanto?
Sorrio de volta?
Se levanto, com certeza você verá a barraca armada, e o que fará?
Tarde demais! Já estou de pé, só agora percebo, pelo seu olhar dirigido ao meu cacete completamente duro, sua boca se entreabrindo, surpresa, seu olhar indo do meu pau para os meus olhos, dos meus olhos pro meu pau, os olhos sorrindo, as duas mãos cobrindo a boca e o vestindo subindo! Delícia!
Tanguinha preta, transparente, xoxota grande, raspadinha e rosada! Deve estar enfiada na bunda gostosa, mas não vejo,apenas imagino. 
Você sem saber se abaixa o vestido, se olha minha vara... 
Corro pra tentar ajudar, mais cavalheiro do que safado, as mãos se dirigindo ao vestido, errando, pegando as coxas grossas, brancas,macias...
Você se encolhendo, instintivamente esticando o braço, roçando-me a pica, sorrindo, minha mão se afastando, tocando-lhe a xota, ambos escorregando, caindo na areia, você por cima, minhas mãos na sua bunda...
Agarro com firmeza, você sobre mim, olhos nos olhos.
Lábios molhados, os seus. Óculos no chão, os meus. 
Fitando sua boca, acariciando sua bunda. 
Não parece surpresa, quando se curva e me beija gostoso, duelo de línguas. 
Gostoso chupar sua língua, mastigar seus lábios, afastar sua tanga, com os dedos roçando seu cuzinho apertado... 
Acariciando-lhe as pregas, suavemente, enfiando devagar, enquanto a língua explorava cada canto de sua boca.
E então, você de joelhos na areia, se apoiando no banco da praça, vestido no pescoço, corpo parcialmente escondido pelo escorregador dos olhares alheios. 
Eu ajoelhado por trás, abrindo o zíper, libertando o caralho, baixando sua calcinha de um golpe, até os joelhos. 
Vou penetrá-la gostoso, de uma só vez, mas a boceta melada me atrai loucamente! 
Caio de boca, agarrando sua bunda com força, entreabrindo a xoxota e mordendo, sugando, metendo a língua...
Enfiando os dedos e a língua, me lambuzo todo em você. esfrego o queixo, a barba por fazer, beijo e meto a língua, você abraça ao banco de cimento. Enfio os dedos em seu cuzinho quente, soco, entram e saem, escurece no parque. 
Apoio as mãos no banco, esfrego a rola, buscando uma entrada, você empinando e rebolando a bundinha, eu beijando suas costas, amassando-lhe os seios, até encostar o pau na boceta , untada pra mim. Uma estocada com força e estou metade dentro. 
Você força o rabo pra trás e recebe-o todo. 
Soco, soco, soco forte! 
Aperto,amasso seus peitinhos deliciosos, mordo seu pescoço, enterro a vara e paro, dentro. 
Sinto você remexendo com vitalidade, rebolando alucinadamente, não controlo mais, você comanda a foda, guia nossos corpos a caminho do prazer absoluto. 
Não aguento mais o tesão! Agarro você pelos cabelos, com força. Você acelera, não para, e eu forço pra dentro, sem bombar. 
Urro em seu ouvido, despejando jatos fortes dentro de você, que estremece e morde os nós dos dedos.
Você escorrega do banco de cimento, enterra o rosto na areia, as mãos em garra mergulhadas , e eu dentro de você, por trás, por cima...
Uns dez minutos assim pareceram uma eternidade. 
Quando dei por mim e tirei o cacete de sua xota, vi suas coxas meladas de porra, sua boceta gostosa e raspada rosadinha e molhada...
Vi seu cuzinho gostoso exposto pra mim. Não tive um segundo sequer de hesitação: ajeitei sua bunda, erguendo-a na altura perfeita pra mim. Encostei o caralho no cuzinho e forcei pra dentro. 
Você enterrou os dedos na areia, apertando um punhado com força. 
O rabão arrebitado foi retesando e eu montando em você, o pau penetrando, rasgando gostoso. 
Parei na metade. 
Sentí latejando,apertado. 
Você empinou mais alto e passou a rebolar, ajudando-o a entrar... 
Uma estocada e quase coloquei até as bolas.
Seu cuzinho apertou meu caralho, gemi gostoso, misturado ao seu choramingo. 
Gozei. Gozou. Gozamos.
Era noite,no parque, quando, de mãos dadas fomos embora pra casa. Sujos de areia, limpos de alma, repletos de prazer.













Escrito por Caique.

Um comentário:

Anônimo disse...

Humm, que lindo que ficou com essa imagem amiga,adoreiii...
Bjs e obrigado pelo mimo viu!!! NIINA