sábado, 26 de junho de 2010

Série: Vampiro - Alto, Moreno e Faminto...

Naquela noite fria de inverno, aquele convite para aquela festa era uma boa pedida.

Na entrada daquela enorme casa, tirei o casaco preto e comprido até os joelhos.

Olhei a meia-calça reparando que ainda não havia desfiado, ajeitei o vestido justo de veludo preto e mangas compridas. Tirei as luvas e fui em direção da namorada do Dono da Festa.

Ela estava bebericando uma taça de champagne.

Mignon, cabelos cacheados cor de mel, vestida com uma roupa que realçava seu corpo e principalmente o traseiro que chamava tanto atenção dos homens, sabia que ia levar uma bronca pela meu atraso.

As pessoas conversavam, riam e outras dançam em outro ambiente mais aconchegante a dois.

- Estou muito atrasada? – perguntei a minha amiga Aline.

- Só um pouco né, amiga! Para você não perder o hábito. Aposto que ficou na Delegacia até mais tarde.

Dei um sorriso amarelo e acenei afirmativamente com a cabeça.

- Ah amiga, o que faço com você? Precisa sair, conhecer homens de verdade. Que saibam valorizar a mulher maravilhosa que você é. Há quanto tempo não transa?

Aline, é uma das minhas melhores amigas e sempre falava o que pensava.

Ela passou o braço no meu e cochichou no meu ouvido.

- Amigaaaaaaaaa, o Anthony tem cada amigo ...kkk e você precisa de uma boa foda.

- Credo! Kkkkk só você mesma.- Ando muito cansada...

- Por isso mesmo, precisa relaxar e gozar, existe coisa melhor que isso?

- Existe sim rsrs. Chocolate!

- Aaaaaaaaaaaaaaaa desisto...rsrs

De repente senti um arrepio na minha nuca, como se estivesse sendo observada, disfarçadamente dei uma olhada enquanto bebericava a champagne que o garçom havia me oferecido.

Um homem alto, todo de preto, cabelos pretos e compridos, rosto bonito e sério me olhava intensamente.

Meu corpo arrepiou inteiro e uma umidade inesperada molhou minha calcinha.
Meus seios enrijeceram e os biquinhos queriam atravessar a fina e delicada seda do soutien.

Encostado ao lado da enorme janela, Eric inalou o cheiro da fêmea que conversava com a namorada do seu amigo.

Não entendia o que Anthony havia visto em uma fêmea humana.

Está certo que Aline, namorada do seu amigo-lobo era uma fêmea humana fogosa, mas não entendia a fascinação e possessividade que Anthony tinha pela fêmea humana.

Sabia que Anthony não a havia marcado ainda como sua e nem contara seu maior segredo para a namorada humana. Ele, Anthony e mais alguns amigos que ali estavam eram mutantes.

Eram “lupins”- lobos.

Novamente sentiu além do perfume, o cheiro natural daquela fêmea humana de cabelos vermelhos, toda de preto e de pele alva.

-“Quem é a mulher com quem Aline está conversando?” Eric perguntou.

- A ruiva? É Ayeska, sua melhor amiga. São unha e carne. – Anthony percebeu o olhar fixo do amigo e olhando para a amiga da sua namorada humana, ficou inquieto com o estranho pressentimento que o acometeu.

Eric não costumava ligar para fêmeas humanas. Preferia sair e ter sexo com mulheres mutantes de lobas. Mas a forma que olhava Ayeska o preocupou.

Sabia que Ayeska era amicíssima de sua namorada e que se algo a magoasse, sua namorada apimentada não o perdoaria.

Durante o restante da festa, Eric conversou futilidades quando necessário, mas a maior parte de sua atenção estava na mulher ruiva, amiga da namorada humana de seu amigo.

A ruiva permanecia de costas para ele que aproveitou para observa-la melhor. Seu olhar predatório passeou sobre suas costas, cintura esbelta, quadris arredondados e pernas torneadas; sensualmente vestidas em meias de seda preta. De repente, ela se curvou ligeiramente e o vestido agarrado moldou seu gracioso bumbum.

Ao sentir seu pênis enrijecer, Eric saiu do transe em que estava. Ele nunca tivera reação física para fêmeas humanas.
"Eu estava cansada."

E com um pedido de desculpas a um jovem que tentava a todo custo me levar para sua cama, fui em direção de minha amiga Aline.

- Amiga, estou muito cansada. Vou chamar um táxi e ir embora.

- Ah não vai não. Tem um monte de amigos do Anthony, alguns estão acompanhados de umas garotas, mas um ou dois estão sozinhos. Vou lhe arranjar uma carona.

- Mas...

- Nada de mas, amiga, voce não vai sozinha e nem de táxi para casa. Espera um pouco.

Cinco minutos depois, Aline e seu namorado Anthony vieram ao meu encontro com um homem alto; muito alto, moreno, forte, cabelos negros e olhos negros penetrantes. Os cabelos eram compridos, lisos e brilhantes. O queixo quadrado, a boca ....ah a boca!

“- Era uma tentação.”

Senti novamente um arrepio percorrer meu corpo, aquecendo-o por dentro.

E uma ligeira tontura me fez segurar meu casaco preto que se encontrava em minhas mãos; com força.

- Voce está bem? – perguntou o homem moreno, pousando o braço com delicadeza na minha mão.

- Sim...obrigada estou apenas cansada.

Senti novamente uma umidade na calcinha, aquele homem alto, moreno e que me olhava fixamente, mexia com a minha libido.

Quando Eric a tocou para ajudá-la, o perfume dela o envolveu, seus sentidos formigaram e ele inalou profundamente; sentindo além do perfume, o cheiro da pele dela. Seu lado mutante de lobisomen, exigiu satisfação sexual.

“- Minha! Tome-a! Agora! “ – nem as mulheres da sua matilha haviam mexido com ele como aquela humana mexia. Seu sangue fluiu apressado de sua cabeça até o seu pênis, que imediatamente inchou e cresceu. Seu nariz chamejou quando inalou o odor da ruiva novamente.

“ Por que? Por que esta mulher?Uma humana!” Ele inalou o cheiro dela várias vezes e apenas um pensamento gritava na sua mente. “ Ele tinha de possuí-la!!!”
Seu amigo Lucas se aproximou inalando profundamente o odor daquela fêmea humana.

Como líder Alfa de sua matilha, a reação de Eric foi imediata.

Pedindo para a amiga da namorada de Anthony aguarda-lo que a levaria para casa, ele pegou no braço de Lucas e o levou para longe dela.

Lucas ficou tenso e lançou um olhar desafiador para Eric.

Eric apertou sua mão e rosnou: “ Minha!”

Sabendo que nunca viu aquele olhar possessivo no semblante do amigo, Lucas relaxou a expressão do seu rosto e curvou a cabeça para o líder da matilha.

-“Sua”...

Eric o soltou.

Percebi que algo acontecera em poucos minutos entre aqueles dois homens. Sua amiga Aline tinha razão, os amigos de Anthony eram bonitos, misteriosos.

- Meu nome é Eric Saint-Clair.- olhando fundo nos meus olhos, ajudou-me a colocar o casaco, e pegando em minha mão disse:

- Venha comigo.

Olhei em seu rosto e foi a minha perdição.

O cabelo preto e brilhante deu uma vontade enorme de tocar, sentir sua textura, sua maciez. Os olhos negros e penetrantes e a boca carnuda num meio-sorriso sardônico, arrepiou meu corpo. Calafrios percorreram minha espinha de cima e baixo. Meu estômago deu um sobressalto, meus mamilos enrijecidos pareciam querer furar o soutien e o vestido.

Lambi os lábios e os olhos negros brilharam. Finalmente respirei e seu olhar era tão intenso, tão perigoso e tão possessivo. Antes de perceber o que fazia, me aproximei dele.

Imagens das mãos dele me tocando, acariciando meus seios, meu corpo nu estremecendo debaixo do dele, minhas pernas ao redor da sua cintura, enquanto ele estocava seu pênis rígido bem fundo dentro de mim, apareceram em minha mente.

- Venha! – num tom urgente, aquele homem moreno e alto puxou-me pela mão e me levou em direção do corredor e abrindo uma porta me arrastou para dentro.


Continua..



 
Nota da autora: Sou apaixonada, fascinada por seres como lobisomens e vampiros.Eles povoam minha imaginação com suas personalidades fortes, misteriosas e suas paixões selvagens . Esse conto é baseado em livros como por exemplo: da Irmandade da Adaga Negra. 
Espero que gostem!


Ayesk@

Nenhum comentário: