domingo, 30 de maio de 2010

MASSAGEM SENSUAL -

Contei a vocês sobre o reencontro com o meu ex mais fascinante. Bom, ficamos nos correspondendo e toda vez que vou até a cidade em que ele reside nos encontramos e temos horas alucinantes de intenso prazer e carinho. Desta vez não foi diferente, me preparei toda e fui completamente surpreendida por aquele macho gostoso.

Cheguei à rodoviária e liguei para ele avisando que já estava na cidade, e marcamos para nos encontrar após o meio dia. Fui para casa dos meus tios para me preparar...

Lembrei que sempre me chama de gostosa e realmente me sentia assim, não tenho o que me queixar, com 1,59 cm de altura, bustos pequenos num formado de maçã, bem redondos, firmes com os bicos pequenos e rosados que ficam bem vermelhinhos quando estou excitada, uma barriga em ordem, cinturinha bem fininha, bunda volumosa, redonda e bem empinada, coxas grossas e bem torneadas, a pele bronzeada, cabelos pretos, médios e bem cortados, emoldurando um rosto fino, com lábios carnudos, nariz pequeno afilado, olhos marcantes castanhos e sobrancelhas bem feitas.

Enquanto tomava banho lembrava-me de suas mãos percorrendo o meu corpo e sentia a excitação começar a chegar, ondas elétricas concentravam-se onde a minha mão passava, deixando a pele como se estivesse eletrizada, sai do banho perfumei o corpo todo passando óleo e deixei que secasse ao natural.

Quando a pele já estava seca coloquei a minha calcinha fio dental branca toda rendada, que mal cobria a xoxota recém depilada especialmente para a ocasião. Por cima, um micro vestido escolhido a dedo, do tipo que valoriza o que tem de belo, para arrematar uma sandália salto alto só com duas tirinhas deixando o pé a mostra.

Saí e peguei o ônibus em direção a casa dele, no caminho ouvia cantadas das mais diversas, me divertia com elas. Liguei avisando que já estava chegado e ele foi me buscar no ponto de ônibus. Quando cheguei foi logo tecendo elogios, ele sabe que gosto quando me chama de gostosa. Enquanto caminhávamos sentia a minha xana já molhadinha só por esta perto dele. Sentia meus seios rijos, a pulsação cada vez mais forte, queria sentir o toque de sua pele, viajei muito para este fim.


Ficamos ainda conversando na parte externa de sua casa, em meio às conversas mãos bobas passeando aqui e ali, demonstrava o que estava por vir. Sentia que estava excitado com minha presença, não tirava os olhos de mim. Tem um rosto bonito, boca bem feita rosada, olhos com formato arredondado castanhos escuros, sobrancelhas grossas bem delineadas, cabelos pretos bem cortados contrastando com a sua pele branca... Não me cansava de olhá-lo!

Assim que entramos, ele me deu um abraço bem gostoso, que tinha um quê de saudade misturado com a excitação do reencontro, como estava bem colado pude sentir seu corpo quente. Foi para cozinha, preparou algo para beber e ficamos conversando.

Bebi um pouco do suco, fui e deitei na cama dele, estava cansada da viagem, tinha trabalhado até tarde na noite anterior. Ele veio ao meu encontro e me beijou bem gostoso, um beijo sem pressa me deixando maluca, ora sua língua invadia a minha boca de forma lasciva ora chupava bem gostoso os meus lábios carnudos e sedentos de prazer, mas logo em seguida me largou, ficou me olhando por alguns instantes. Em seguida levantou e foi até a cozinha e ficou de lá me olhando.

Fiquei contemplando aquele corpo esguio, másculo, com todos os músculos bem torneados, sem exageros, mas parecia que estava distante, queria saber por que tinha ficado tão longe, geralmente quando nos encontramos sempre é um fogo só. Chamei-o para perto, mas foi em vão, sei que se insisto acabo chateando-o então decidir deixar por sua conta continuei deitada, virei de costas e fiquei quieta.

Depois de alguns minutos ele veio para cama novamente, começou beijando meu pescoço; fui tentar virar, mas ele não deixou, e continuou beijando minhas costas, foi para os ombros, desceu até as mãos, eu iria falar algo, mas ele fez um gesto para que ficasse quieta, obedeci, estava muito gostoso senti a sua boca tocando bem de leve a minha pele, alternando com a língua e aquela umidade.

Foi para minhas pernas e beijou-as, mordendo de vez em quando, me deixando doida, pois era como se tomasse choque toda vez que apertava a minha carne entre seus dentes, foi até o meu pé, então olhando nos meus olhos e falou:


__ Só beijo o que estiver fora da roupa. Você pode até virar se quiser, mas não vai poder tocar no vestido.

Dei uma risada, senti minha pele ruborizar de excitada que eu fiquei; minha xana começou a pulsar. Virei-me, abrindo as pernas de forma que o vestido veio parar na altura da virilha.

Ele começou a me beijar, me olhando com a cara mais safada, mordiscava e eu ia ao delírio, chupava de forma lasciva, podia sentir o toque de seus lábios quentes na minha pele e passava a sua língua molhada me fazendo eriçar os pelos.

Ele parou olhou para a calcinha, levantou um pouco mais o vestido, como se quisesse ver melhor, passou a mão de forma firme chegou com o rosto bem perto que dava para sentir sua respiração, aquele ar quente fiquei alucinada, senti que estava excitado também, pois dava para ver aquele mastro rígido debaixo do short que usava e sua respiração tinha ficado mais ofegante. Então ele parou novamente.

Fiquei doida, como pode parar assim o que estava fazendo? Estava tão gostoso! Isso me assustou, geralmente não para mais depois que começa a me atiçar. E parecia que estava se controlando, brigando consigo.

__ O que está acontecendo em? Perguntei intrigada.

__ NADA... Queria que estivesse aqui... E complementou, Por que está aí tão comportadinha??

Num impulso, retirei o vestido ficando somente de calcinha fui ao encontro dele e comecei a provocá-lo. Abracei e beijei-lhe a boca cheia de desejo mordendo a parte inferior dos seus lábios chupando-o, roçava meu corpo no seu, sentia seu membro rijo embaixo de seu short, passeei com as mãos em seu corpo em seguida fui beijando-o, mordendo até que fiquei de joelhos em frente com aquele membro, sentia sua respiração ofegante, esfreguei o meu rosto no seu cacete, sentindo seu perfume, ele estava gostando, já gemia bem baixinho.


Tomando todo o cuidado, abaixei o seu short deixando aquele mastro de 21 cm, rosado e rijo olhando para mim, lisinho do jeito que gosto... Passei-o pelo meu rosto, e fui passar a língua nele, iniciei de baixo lambendo toda base, neste momento o gemido foi mais forte, fui subindo bem devagar lambendo e por vezes chupando, chegando até a cabecinha, passeei com a língua em toda sua extensão enfiando-a no orifício, ele continuava a gemer cada vez mais

__Isso, gostosaaaaaaaaaa...

Eu o abocanhei com gosto, queria muito sentir aquele pau dentro de minha boca, como sentia saudades! Chupei com força e pedir para que falasse o que queria, e ele disse:

__ Chupa ele todinho vai!! Põe meu cacete em sua boca

Obedeci prontamente, fui chupando colocando o que podia em minha boca, por vezes descia até a base e voltava logo em seguida passando a língua em toda a sua extensão, então ele pediu que parasse, quando olhei para ele, percebi que segurava uma calda de morango e disse:

__ Vou deixá-lo mais gostosinho para você, mas vai ter que me deixar limpinho depois!

Delirei com esse gesto e sorrir como uma criança que ganha o doce preferido. Sempre tive vontade de lambuzar alguém só para ter que tirar depois, eu segurei-o pela base e fui com gosto, abocanhei aquele mastro, dei uma chupada bem gostosa, ele gemeu alto...

Soltei e fui lambendo e chupando toda a extensão retirando toda a calda colocada por ele, desci e enquanto lambia a base utilizava as mãos num frenético vai e vem, sentir aquele cacete pulsar em minhas mãos abocanhei de novo chupando forte a cabeça e masturbando o corpo com a mão, ele gemia e tremia até que sentir o jato de porra na minha boca deixei escorrer pelo meu corpo.

__Hummm!! Safada, gostosaaaa.... Quer tomar banho de porra é??

Ele não conseguia ficar de pé, foi para o quarto e deitou na cama ainda ofegante, o observava, via a sua respiração, estava todo ruborizado e seu membro avermelhado ainda pulsava.


Fui ao banheiro, tomei um banho e fui deitar ao seu lado, que me abraçou por trás, me fazendo sentir todo seu corpo colado no meu,demorou assim alguns minutos e depois saiu, foi ao banheiro, ouvi o jato de água, fiquei quieta estava cansada...

Ele voltou com um frasco óleo mineral em suas mãos e foi colocando em minhas costas me fazendo uma massagem muito gostosa, aquelas mãos fortes e quentes ia deslizando sobre minha pele de forma firme, fazendo movimentos circulares apertando aqui e ali dirimindo qualquer ponto de tensão, foi descendo e com cuidado tirou minha calcinha, acariciou minha bunda de forma gostosa já estava toda molhadinha abriu minhas pernas passando bastante óleo nelas, ele me pediu que ficasse de quatro e ficou uns instantes olhando o quanto estava molhada, estava sedenta por ele, pelo seu cacete dentro de mim.

Passou sua a mão em toda a extensão com óleo que estava um tanto morno, sentia cada centímetro tocado com intensidade incrível, começou a soprar e a cada sopro ia ao delírio, passou a língua de forma carinhosa e chupou gostoso meu clitóris, gozei no instante que sentir seu dedo entrar em mim.

Ele me trouxe para o chão, me colocou de frente para ele e continuou com o banho de óleo, deixando meu corpo completamente coberto, só então deitou em cima mim, escorregávamos um no outro então abriu minhas pernas e começou a roçar em mim, eu me sentia toda eletrizada, parecia que o óleo aumentava a sensação, deixando a temperatura ainda mais quente.

Ele gostava de me atiçar e passava o cacete na portinha de minha xana, mas não entrava, mexia com meu clitóris, apertava minha bunda, me olhava com a cara mais safada, e sem que eu esperasse enfiou todo o seu pau de vez me fazendo delirar, começou um vai e vem gostoso, sentia inúmeras sensações prazerosas, os corpos deslizando, o chão frio em minhas costas.

Ele estocava, por vezes com força outras vezes bem de leve, ficava brincando rebolando bem na portinha me fazendo enlouquecer, tudo escorregando e cada vez mais quente, gemia e me chamava de putinha gostosa, eu delirava, gemia a cada penetração, como gostava de ter ele todo enfiado em mim.


Ele ficou de joelhos, colocou minhas pernas nos seus ombros e bombava com força, ao mesmo tempo eu subia e descia usando a alavanca das pernas, eu comecei a gritar de prazer sentia ondas elétricas percorrerem todo o meu corpo, olhava para ele e o via todo ruborizado, suava e entre gemidos dizia:

__ Vai minha gostosa... Assimmmmm!!!

Subitamente nos virou me trazendo para cima dele, era a minha vez de está no controle. Deixei que seu pau escorregasse para dentro de mi sentindo ele Lá no fundo, parei um pouco para retardar o nosso gozo que já estava próximo.

Como tudo escorregava, não tinha como firmar as minhas pernas, que teimavam em abrir cada vez mais, enquanto cavalgava, provocando ainda mais prazer, ele pegava e apertava minha bunda, me dando uns tapas usando as duas me fazendo gritar:

__ bate gostoso! vaiiii

Ele delirava, eu aumentava a velocidade e a força como eu podia, nós gemíamos, ele por vezes dizia:

__ Cavalga gostoso minha safada, gostosa! Ahhh

Apertava minha bunda, fazendo seu cacete entrar ainda mais, deslizava suas mãos até os meus seios apertando-os, tentando levar-los a sua boca, gemendo cada vez mais com a respiração cada vez mais dificultada, aumentei ainda mais a velocidade, eu o sentia entrar e sair e a temperatura do seu corpo aumentar, ele gemia, com seu pau a pulsar dentro de minha xana gozei com ele me chamando de cachorra.

Fiquei de quatro, apoiada na cama e pedi que enfiasse todo aquele mastro dentro de mim, e assim ele fez, agarrou meu quadril e começou a bombear com força, e eu rebolava cada vez mais, e a cada estocada delirava.

Ele pegou meu cabelo e começou a puxar enquanto enfiava todo o seu cacete dentro de mim, por vezes dava um tapa na minha bunda me pedindo que rebolasse mais. Delirei quando soltou os meus cabelos e deslizou suas mãos até os meus seios apertando-os sem parar de me foder.


Em seguida segurou novamente a minha anca e bombeou freneticamente sentir minha boca ficando seca, o seu corpo tremer, gozamos juntos de forma maravilhosa, eu subi e ele me abraçou, ficando os dois, de joelhos um atrás do outro. Senti seu coração pulsar, o meu parecia que iria sair pela boca, sua respiração ofegante no mesmo ritmo da minha, nossos corpos tremiam até que desabamos e ficamos ali no chão, completamente saciados e relaxados.

Depois de uns minutos, levantamos e fomos tomar um banho, debaixo do chuveiro ele passava sabonete em mim, me chamando de gostosa, acariciando todo o meu corpo, e começou a massagear a minha xana que estava toda inchadinha, foi para minhas costas ensaboando-a por completo dando uma atenção especial a minha bunda, passou pelas minhas pernas e braços a fim de tirar todo o óleo.

Enquanto a água caia sobre o meu corpo ele me acariciava, e eu me sentia no céu, com aquele banho de carinho, retribui da mesma forma, passando sabonete por todo o seu corpo, limpando cada centímetro, ao mesmo tempo em que gravava em minha mente aquele momento único de carinho.

Ao terminarmos ele me ofereceu uma toalha e fomos para a cama novamente, deitamos um do lado do outro, ele abraçado a mim já estava rijo novamente, começou a enfiar, de forma suave, bem devagar, às vezes parava todo lá dentro, às vezes fazia poucos movimentos, sentia minha boceta contrair e aquele cacete rígido dentro de mim, deslizando no gozo, me dando ainda mais prazer, sentia que as ondas elétricas se aproximavam novamente com mais intensidade, ele colocou a mão no meu clitóris e começou a massagear sem se movimentar pediu no meu ouvido.

__Mexe para mim minha gostosa!

E eu rebolava, sentia seu cacete e seus dedos a brincar com o meu clitóris e gozei... Foram órgasmos múltiplos, gemia e pedia para que ele gozasse dentro de mim até que sentir aquele jato quente tomando conta de minha vagina que pulsava... Todos os meus músculos tremiam junto com os seus, não tinha força mais para nada, ficamos ali, de conchinha, ele fazendo carinho em minha cabeça, falou baixinho dorme minha putinha gostosa... e foi a ultima coisa que ouvir antes de adormecer.


Escrito por Anikka

Nenhum comentário: