domingo, 20 de dezembro de 2009

Tesão sob o Luar e as Estrelas

Eu me encontrava deitada sobre uma manta patchwork , com uma regata rosa até as coxas e uma calcinha pretinha de renda, olhava as estrelas , a lua, ouvindo o som das cigarras e bem longe vaga-lumes brilhavam naquela noite fresca própria daquela região.

Deitada e ansiosa eu o esperava enquanto ele terminava de banhar-se no pequeno riacho.

Ele gosta da natureza e havia me prometido uma noite sob a Lua e as estrelas.

Escutei passos apressados e logo senti pingos em algumas partes do meu corpo, parecia um menino levado, sacudindo os cabelos e pequenas partículas de água caiam sob a minha pele.

Me arrepiei e o olhei admirando seu corpo nu , alto, forte sem ser atlético e com aquele sorriso de menino.

- A água estava uma delícia lindinha, demorei muito? – perguntou-me enquanto pegava a toalha de dentro da sacola. Enxugou-se e deitou-se ao meu lado.

Um pequeno lampião aceso, uma cesta de frutas faziam parte daquele cenário.

- Não amor meu, você não demorou...rsrs

Nossos olhos se encontraram e seu sorriso desapareceu, e sua boca desceu em minha direção, beijando-me o rosto, o pescoço, mordiscando minha orelha.

Enlacei seu pescoço e o trouxe mais perto de mim.

Sua boca desceu sob a minha e um beijo longo, demorado quase tirou-me o fôlego.

Suas mãos passearam pelo meu corpo e senti minha vagina umedecer-se de tesão, desejo.

Não era movida apenas pelo desejo, havia: Amor, Carinho, Ternura.

Minha rachinha em brasa e molhada, delineava-se na peça íntima.

Cheio de tesão, ele se inclinou. Seus dedos enroscaram-se no elástico da calcinha , puxando-a lentamente.

Facilitei-lhe o trabalho com movimentos sensuais do meu corpo.

Após tirar a calcinha foi a vez de tirar minha regata e fiquei nua , os seios duros e os biquinhos eretos.

- Fique em pé querido...- pedi

Ele ergueu-se ficando em pé, nu e lindo.

Me pus de joelhos e com as mãos suavemente segurei seu membro ereto.

- Hummm ...tão grosso....tão duro.... – minhas mãos subiram pela sua coxa e aproximei minha boca do seu pênis.

Enfiei a língua , alisando, chupando, enquanto minhas mãos apertavam suas nádegas.

Lentamente ele me fez deitar, sem que momento algum , eu soltasse seu pênis, mamando-o com sofreguidão.

Girando o corpo, ele teve as minhas coxas ao seu alcance e minha xoxota sob seu nariz.

Ele lambeu minha bucetinha molhada e suspirei.

Afundou sua língua nas minhas carnes quentes.

- Ohhh...amor meu....- suspirei estremecendo em convulsão.

- Lindinha...voce é tão gostosa...minha feminha de cabelos vermelhinhos...

Meus seios esfregavam-se em suas coxas,enquanto minha boca faminta engolia seu pênis, brincando com ele.

Afastei as pernas dele para instalar-me ali de 4 , inclinei-me sobre seu pênis e minha língua girou lentamente em volta dele.

Minhas mãos subiram pelo seu ventre indo acariciar seu peito, roçar seus mamilos.

- Feche os olhos e sinta todo meu tesão e amor. – pedi com a voz rouca.

Continuei movimentando a língua, acariciando-lhe , degustando, saboreando seu pênis.

Lambia-o sem pressa.

Meus lábios fecharam-se num biquinho tocando a ponta do seu membro.

Avançei com a cabeça fazendo pressão sobre a glande, deixando-a abrir caminho por entre meus lábios, roçar meus dentes e penetrar na minha boca.

Minha língua não parava de girar, esfregar, alisar e provocar sua glande.

Minha boca úmida e morna engolia seu pênis.

Meus lábios apertavam a pele intumescida.

Comecei a mover a cabeça, quase deixando seu pênis escapar dos meus lábios, antes de chupa-lo para dentro de novo.

- Quero te lamber também lindinha, sentir seu gosto...

Eu me virei, o meu ventre apoiado no peito dele, meus joelhos firmando-se na manta, e ofereci minha xoxota melada.

Estendi novamente a língua e colhi o néctar, lambendo-o e sugando-o avidamente.

- Ahhh amor meu....que tesão...que gostoso... - ofeguei arqueando meu corpo, empurrando minha xoxota contra o rosto dele, ao mesmo tempo que sugava seu pênis.

A lingua dele avançou para dentro da minha bucetinha.

Eu gemi e me contorci, suspirando com seu pênis na minha boca.

Ele alisava minhas coxas, indo até as nádegas, deixando os pelinhos arrepiadinhos

Ofeguei e rebolei.

Ele lubrificou o dedo com saliva, depois buscou o botãozinho pregueado do meu cuzinho, pressionando, girando,entrando lentamente.

Eu arrebitei mais as minhas nádegas, gemendo e chupando seu pênis.

Ele enfiou a mão entre nossos corpos, buscando meus seios, apertando-os .

- Ahhh...está me...fazendo...derreter... - confessei ,meu rosto afogueado, enquanto sentia os biquinhos dos meu seios tão sensíveis que poderia até gozar.

Soltei-lhe o pênis, estava tão excitada que me entreguei às sensações que me tomavam o corpo de forma inesperada.

Fiquei gozando com as carícias que ele me brindava.

Meu ventre agitou-se inúmeras vezes e espasmos prolongados abalaram meu corpo.

Meus olhos fechados, enquanto eu gozava, mas o prazer longe de acabar , mais aumentava.

Eu queria mais.

- Ohhh amor...meu...que...gostosooooooo...maissss....não pare...

Todo meu ventre estava em ebulição. Minha xoxota ardia, pedindo algo que me preenchesse totalmente, que distendesse minhas dobras,que fosse até o fundo e me desse aquela sensação de plenitude que apenas ele e seu pênis poderiam me dar.

- Quero..voce..quero..senti-lo...dentro...dentro de mim...ohhhh....quero voce...quero..senti-lo...entrando... - pedi escorregando sobre ele, eu sentei no seu peito e fui descendo, passando pelo seu ventre, pressionando seu pênis.

O senti colado à minha vulva molhada, que ergueu-se um pouco e o encaixei na entrada da minha vagininha.

- Gosto..de senti-lo... entrando...assimmmmm.... - murmurei soltando lentamente meu corpo.

A glande comprimiu-se à entrada do buraquinho estreito.

Com um prazer quase insuportável, senti sua glande distendendo minhas dobras a sua passagem, enquanto comprimia-se toda.

- Ohhhhhh amor meu....ohhhhhhh meuuuuuuuuuuuuu....aaaaaaaa... - suspirei e gemi, quando a cabeça do seu pênis entrou dentro de mim.

- Ohhhhh... que ...delicia....ele...está..entrandoooo...todinho...dentro..de...mim...

Deixei meu corpo pesar sobre ele e seu pênis rijo foi se enterrando, gradativamente, enchando-me por dentro, me dando um prazer sem fim.

Ele entrou até o fim e contraí meu musculos vaginais, apertando ainda mais seu pênis, levando-o ao delirio.

- Minha...mexe..mexe lindinha... - com um estocada firme eu gemi de prazer.

- Estou...derretendo...por...dentro - rouca, o abracei e beijei-o com sofreguidão, enfiando minha lingua entre os lábios dele, da mesma forma que ele estocava seu pênis em minha vagina, me fazendo gozar como nunca.

- Ahhhhhhhhhhhhlindinhaaaaaaaa...eu vou..explodir...- rouquejou ele enquanto estocava com firmeza dentro de mim.

- Ahhhhhhhhhhh simmmmmmm gozeeeeeeeeeee....

Sus estocadas entre uma firme e duas devagar, me deixavam alucinada.

Minha boca separou-se da sua por alguns instantes e o mordi no ombro.

Nossos corpos suados, enlaçados antingiram o clímax ao mesmo tempo.

Num gemido prolongado, gozamos.

Ele estremecendo, olhando-me enquanto eu movia meus quadris em seu pênis lambuzado.

- Ahhhhhhhhhhque tesãooooooooooooooo...que deliciaaaaaaaaaaaaaaaa.... - tombei sobre ele, abraçando-o, apertando-o com força, como se nunca mais quisesse soltar-me dele.

O beijei e suguei seus lábios com uma sede de longa data.

Ele correspondeu, abraçando-me e apertando meu corpo contra o seu, enquanto eu sentia seu pênis ainda duro, como se aproveitasse cada segundo no interior do meu corpo que o acolhia.

Fui me aquietando sobre ele, suspirei, contraindo meus musculos e apertando ainda o seu pênis dentro de mim.

Extasiada, arrebatada, deitei minha cabeça em seu peito, enquanto suas mãos alisavam meus cabelos úmidos de suor.

Abraçada a ele, ouvindo sua respiração que se acalmava e seu coração bater, sorri ao ver uma estrela cadente passar pelo céu num manto escuro salpicado de estrelas e a Lua em todo seu esplendor.


Escrito por Ayeska@

Um comentário:

Amor A Base De tudo disse...

Isso é pra lá de sensual!!!
É afrodisíaco!! Me imagino nessa história...afff.
bjsss