domingo, 13 de dezembro de 2009

Só VOCE


A noite caiu e fui até aquela boate com as minhas amigas.

Rindo, entramos e fomos direto para a pista.

Adoro dançar... movimentar o corpo de olhos fechados, sentindo a música fluir em todo o meu corpo.

De repente senti alguém pegar minha mão.

Abri os olhos e lá estava ele na minha frente.

Meu Fantasma da Ópera.

Alto, os cabelos loiros e lisos presos numa tirinha de couro, trajando uma calça jeans preta e uma camisa verde musgo que realçava aqueles lindos olhos verdes.

Ele sorriu e me puxou em sua direção.

- Você me fascina....não parei de pensar em você... – ele disse, me segurando pela cintura com um braço, fazendo-me ondular colada em seu corpo.

- Você tem um jeitinho que me fascina...que me alucina...

Meus olhos fitavam seus lindos olhos. Sorri enigmática.

E nossos corpos colados, dançavam sensualmente.

Minhas amigas passaram por mim e fizeram um sinal positivo com o polegar.

- Vem comigo.... – ele falou passando suavemente um dedo no meu rosto.

Seus olhos verdes me encaravam.

- Só você me fascina....desde aquela noite...com seu jeito de amar...vem comigo!

Eu senti um arrepio de tesão, não esperava encontra-lo ali.

Naquela noite fazia um mês aproximadamente que havíamos transado.

Lógico que havia pensado nele, assim como eu havia ficado triste por ter perdido na Noite de Halloween aquele chapeuzinho de bruxa...rsrs

Mas o tesão falou mais alto e o segui sem dizer absolutamente nada.

Minha mão na sua, enquanto saíamos da pista de dança e íamos passando pelas pessoas.

Ele me levou para fora e conversando sobre amenidades fomos na direção da sua moto.

Eu trajava uma mini-saia, botas de cano curto ( que estão na moda), uma bata colorida.

Montada em sua moto, com as mãos em volta da sua cintura fomos até o Motel mais próximo.

Após alguns minutos que pareceram eternidade, pois não via a hora de senti-lo, chegamos no quarto.

Ele nada falou. E fiquei quieta esperando seu próximo movimento.

Tirando minha bata, ele beijou meus ombros e meus seios por cima da lingerie.

Meus biquinhos eriçados espetavam o tecido. Ele prendeu um deles em seus dentes.

Ofeguei e afaguei seus cabelos, puxando a tirinha de couro e soltando seus cabelos loiros e lisos até os ombros. Ele tinha um perfume inebriante.

Ele levantou os olhos.

- Você me quer?

- Sim...eu o quero... – murmurei soltando o soutien, tirando a mini-saia, a calcinha.

Baixei o zíper da calça dele, retirei seu pau endurecido entre meus dedos.

Terminamos de retirar o que faltava e ficamos nus.

Ele se sentou na cama e de costas para ele , eu sentei em seu colo, sentindo seu pau pressionando minha vagina melada de tesão e penetrando-me lentamente.

Eu apoei os pés nos seus joelhos, ele me abraçou e apertou meus seios.

Beijou minhas costas, minha nuca, levantando meus cabelos para cima.

Um arrepio de tesão me percorreu ao sentir sua boca e língua em uma das minhas zonas erógenas.

Eu oscilei o corpo de um lado para outro.

Meus movimentos acompanhados por contrações de minha xoxotinha gulosa.

Sua respiração ofegante e entrecortada e logo em seguida ele coordenou seus movimentos com os meus.

EU encostada nele e seu pau todo dentro de minha xoxota.

Nossos corpos se roçaram, suas mãos acariciaram meus seios.

Ele beijou-me novamente a nuca, mordiscou-a, avermelhando-a.

Eu me levantei do seu colo e estendi minha mão em sua direção.

Levei-o para cama, onde me deitei , puxando-o para cima de mim.

Eu o abraçei e o beijei.

Meu peito ofegou, meus seios estremeceram no compasso da respiração.

Meu ventre se contraiu , quando seus dedos desceram até ele.

Escorregaram para baixo, descobrindo meu clitóris.

- Você ...é tão gostosa...- suas mãos espalmaram meus seios, roçando os biquinhos eriçados.

Ele se inclinou e colheu entre seus lábios um dos biquinhos eretos.

Sua mão entre minhas coxas, tocou minha vulva, deslizou buscando meu botãozinho saliente, me fazendo estremecer e melar toda minha xana.

Uma trilha de sua saliva marcou a passagem de sua língua sobre meus seios, indo de um lado para outro.

- Você ... é tão carinhoso... – murmurei.

Ele desceu sua língua pelo meu ventre, que se contraiu ritmidamente.

Mordiscou ao redor do meu umbigo, depois desceu ainda mais, minhas pernas se abriram totalmente.

Ele lambeu minha vagina, deslizando sua língua para cima e para baixo.

Eu ofeguei e minha respiração ficou irregular,cheia de suspiros.

Ele friccionou meu clitóris delicadamente, eu me remexi inquieta, e logo em seguida ele enfiou sua língua profundamente dentro da minha vagina.

Eu estremeçi e minha vagina se contraiu mais e mais.

Eu gozei, me desmanchando toda em suspiros, jogando a cabeça de um lado para outro, mordendo meus lábios de puro tesão.

Ele continuou, enquanto eu gozava.

- Vem...enfia tudo agora...quero senti-lo... – pedi contorcendo-me na cama.

Ele se arrastou para cima de mim, beijando meu ventre, seios, lábios.

Seu pênis se encaixou entre as minhas coxas, eu enfiei a mão entre nossos corpos e acomodei seu membro ereto na entrada da minha vagina.

Meu buraquinho apertado e melado, sugou-o para dentro de mim.

Deslizando lentamente até que o senti fundo dentro de mim, apertado.

Eu o abraçei, o beijei e mordi seus ombros, arranhei suas costas.

- Que tesão...que gostoso... – aos arrancos, movi os quadris, enquanto contraia meus músculos vaginais em volta do seu pênis.

Eu gemi e suspirei a cada estocada.

Ele acelerou os movimentos, enquanto correspondia, com suspiros e murmúrios cada vez mais rápidos e inteligíveis.

- Mais...mais....ahhhhhhh...que gostoso....quero maissssss....-pedi alucinada e começando a gozar.

Ele não parou suas estocadas dentro de mim, enquanto meus gemidos, meus movimentos, minhas mãos em seu corpo, minha boca na sua pele, tudo com intenção de acelerar o orgasmo.

Senti seu corpo se desfazer dentro de mim, gozando demoradamente, ejaculando no interior da minha bucetinha que se contraiu contra seu pênis como se o ordenhasse.

Após o gozo, ele me fitou pensativo.

- Por que está pensativo? – perguntei.

- Pensava numa estranha, mas não improvável possibilidade.

- Qual?

- Apaixonar-me por você...

Meu rosto ficou sério.

Levantei-me da cama e peguei minhas roupas que estavam caídas no chão.

- Onde você vai? – ele perguntou sentando na cama.

- Vou embora...preciso ir...não venha atrás de mim...por favor...agora não...

E sai, deixando-o sozinho naquele quarto de Motel.

Sem olhar para trás.

Sabia que o havia deixado surpreso.

Entrei dentro do primeiro ônibus que apareceu no ponto e entre poucos passageiros e o rádio ligado ouvi uma música:

"Só você que me fascina, só você que me alucina

Só você que me faz delirar com o seu jeito de amar

Você é a coisa mais bonita que já me apareceu

Quero ter você na minha vida pra sempre eu vou querer

Esse teu jeitinho me fascina, me faz enlouquecer...”


Escrito por Ayeska@

Um comentário:

Amor A Base De tudo disse...

quando vai publicar um livro e mandar uma cópia (com dedicatória, não se esqueça)pra mim?

Amei!!! bjsss