terça-feira, 20 de outubro de 2009

Telefonema inusitado - Assunto Inacabado


Uma semana após a festa na casa da Luciana e meus hormônios continuavam em ebulição.

Não conseguia me esquecer daquela voz, das mãos, do cheiro, do tesão que aquele desconhecido havia me provocado.

Enquanto passava um óleo exótico hidratante do Boticário em meu corpo, meus pensamentos voltavam aquela noite.

Sai do banheiro e fui em direção do meu quarto.

Já era tarde e no dia seguinte teria que me levantar cedo para o trabalho.

Apesar de estarmos na Primavera, o calor era intenso.

Liguei o ventilador do teto e deitei-me apenas com uma fina camiseta e calcinha.

Na escuridão do quarto, apenas a claridade da Lua contra o céu repleto de estrelas, através da janela aberta, eu pensava.

O barulho estridente do telefone, pos fim as minhas lembranças daquela festa.

- Alô

- Ayeska! – murmurou a voz que até então assombrava meus pensamentos.

- Você! Como me descobriu?

- Não foi difícil, uma pergunta ali, outra aqui...

- O que quer? Droga, quem é você?

Ouvi seu riso do outro lado da linha.

- Do que está rindo?

- Eu a perturbo, não?

Fiquei muda, enquanto apertava o telefone, minha xoxota úmida ao ouvir aquela voz.

“ Droga de hormônios” - pensei

- Ayeska...o que estava fazendo?

- Estava dormindo.

- Dormindo? Que delicioso...hum o que está vestindo? – perguntou-me, sua voz demonstrando sua excitação.

Sua excitação me contagiou , e senti minha xoxota piscar.

Larguei-me languidamente na cama.

- Nada de mais, apenas uma camiseta e uma calcinha...

- Que cor é a calcinha?

- Branca.

- O branco não lhe fica bem. Preto é o mais adequado na sua pele branquinha, macia e cheirosa...Estava sonhando?

- Talvez...

- Hum com quem? Tenho certeza que sonhava comigo!

- Convencido.

- Diga que é mentira, então.

- É mentira.

- Mentirosa! Sua voz a trai. Você não consegue me enganar....o que estava sonhando? Eu a comia?

- rsrs ...Não eu o comia...

Ele riu, um sorriso excitado, contagiante, gostoso.

- E como você me comia?

- Eu o chupei...até não restar uma gota sequer...

- Puxa! Senti um arrepio só de imaginar...

- Hum... se é assim, por que não vem até aqui e acabamos de uma vez com isso?

Ouvi um suspiro profundo.

- Infelizmente não posso.

- Por que não?

- Não quero parecer fácil... –zombou ele me deixando p... da vida.

- Seu tolo...bobo...pretencioso..

- Que mais...

- Hum gostoso também...sabe você tem uma boca mágica! E uma língua que me deixou louca.

- rsrs... Você não viu nada, ainda, querida. Tenho outros atributos especiais.

- Hum... continua se julgando especial?

- Sou especial. Sou tão especial que você já me quer...me deseja...sonha comigo e aposto como se masturbou todos esses dias, pensando em mim.

- Sem comentários...não responderei a isso.

- E nem precisa, eu sei que sim...deve ter sido uma siririca e tanto...Me conte como você fez? Esfregou essa xoxota deliciosa? Enfiou o dedo? Me conta como gosta e o que te dá tesão...

- Eu já disse que não vou responder.

- Não importa, eu sei como você gosta.

- Não vai me dizer seu nome?

- Não, prefiro assim. Sei o seu e já me basta. Tem alguma coisa para fazer nesse minuto?

- Não , nada especial, apenas dormir.

- Não quer fazer sexo comigo?

- Sabe que sim...

- Então tire a camiseta...estou me despindo também. Acabo de tirar minha cueca boxer e estou de pau duro. Meu cacete é longo e grosso. Tenho certeza que você vai gostar dele.

Estou descobrindo ele. A cabeça está vermelha...lateja um pouco... é tesão sabia?..Vou me masturbar...imaginar que suas mãos o seguram...que o movem suavemente, pra cima e pra baixo...

A imagem começou a aparecer em minha mente, voando solta. Totalmente nua, com o corpo roçando no lençol da cama. a excitação crescia mais e mais.

Meus seios encheram-se de tesão, os bicos tesos, vermelhinhos, a bucetinha melada.

- Que você quer que eu faça, Ayeska? – perguntou ele com a voz rouca. - Vou morder seus biquinhos...bem devagarinho...como se fossem duas cerejinhas vermelhinhas...tenras...sensíveis...Minhas mãos vão descer pelo seu corpo...

Hum Ayeska sinto seu cheiro...seu perfume... sua xoxota...hum está molhada...tão molhada...toco-a...voce estremece...enfio um dedo...voce quer mais...ponho dois dedos...acaricio-a por dentro...voce suspira...

- Por favor...espere... – pedi com um tesão enorme. Parecia real demais.

- Não...deixe-me acaricia-la...beija-la...

- Não...murmurei – Se quer fazer isso, será aqui, ao vivo. – e num esforço difícil , desliguei o telefone. Meu corpo pegando fogo de tão quente, a buceta melada e as coxas se esfregando uma contra a outra.

Mal consegui respirar fundo e o telefone tocava novamente.

Por um minuto , pensei em não atender.

- Porra, Ayeska! Me cortou o tesão...mas você tem razão...vou come-la, vou fude-la pessoalmente...

- Quando?

- Não hoje...

- Quando então?

- Quando você menos esperar...- e desligou o telefone.

Fiquei tensa, segurando o fone. Meu corpo tremia de tesão não satisfeito.

Deslizei o fone, pelo meu pescoço, sobre os seios, até o ventre.

Depois introduziu-o entre minhas coxas quentes.

O plástico polido ficou esfregando-se a minha vulva lubrificada, roçando o clitóris, provocando-me.

- Safado, sacana...me deixando assim... – murmurei enquanto esfregava com a mais força, freneticamente.

O tesão era tanto que meu orgasmo explodiu rapidamente em meu corpo, deixando-me sem fôlego, aliviada, mas não satisfeita.


Horse_Lover, you're my inspiration...


Escrito por Ayeska

Nenhum comentário: