domingo, 4 de outubro de 2009

Matando saudades em Goiania

A viagem havia sido cansativa, se ele levou 15 horas para chegar, imagine EU!

Atravessei praticamente dois Estados, mas isso pouca importância tinha para mim.

Eu queria estar com ele, sentir seu cheiro, seu carinho, seu tesão, seus braços em volta de mim me dizendo: "Eu te amo, ficará tudo bem!"

A chuva caia sem cessar.

O táxi parou em frente do hotel, desci apressada com a bolsa preta e grande da TNG e uma sacola contendo um mimo para aquela noite.

Com dificuldade consegui convencer que era a namorada dele, apesar do meu aspecto nada agradável: cabelos escorridos da chuva, a jaqueta preta toda molhada, enfim parecia um ratinho molhado...rsrs

Com meu jeito de menina-mulher consegui chegar no seu quarto.

Agradeci com um sorriso e uma pequena gorjeta entradno assim em seu quarto.

A grana estava curta; afinal era fim de mês e quem disse que funcionário público ganhava bem!

Tirei a champagne e a coloquei no pequeno frigobar, a caixa de bombons da Kopenhagen deixei sobre o criado-mudo. Ainda bem que existia cartão de crédito! Com muito cuidado tirei as duas taças e as coloquei perto da caixa de bombons.

Fui para o banheiro e tomei um banho quente e gostoso.

Ele sabia que eu não era dada as frescuras e que as vezes curtia colocar uma das minhas camisolas de algodão do Piu-Piu..rsrs

Estava frio, sai do banheiro com a camiseta até as coxas, sem nada por baixo, havia passado meu hidratante preferido do O Boticário e com os cabelos lisos e um pouco úmidos fui para sua cama. Sabia que ele estava com seu amigos da Faculdade, ele havia me dito que iria reencontra-los e tomariam um chopp.

O cansaço da viagem foi tomando conta do meu corpo e acabei dormindo.

Senti alguém me chacoalhando e ouvia alguém me chamar.

- Ayeska...ayeska acorde, vamos!

Abri os olhos ainda sonolentos e vi sua imagem.

“Nossa , como eu o amo” –pensei olhando-o.

- Oi Amor Meu...

- Você tá louca? O que você veio fazer aqui? Com um tempo desses? E o seu serviço?

Ayeska, você é impossível, atravessar dois Estados? – agitado ele falava sem fôlego.

Eu só sentia o coração bater forte no peito, e olhava como uma idiota com um sorriso mais idiota ainda no rosto.

- Eu te disse que precisava aproveitar que vou fazer esse curso e ficar sozinho para pensar...mas voce me escuta? Não você é teimosa...

Nem o esperei terminar a frase, ajoelhada na cama de frente para ele (ele é quase 30 cms mais alto do que eu) o abracei e o calei com um beijo apaixonado.

Minha boca sugava sua língua, brincava com ela, o provocando. Meus seios apertaram-se em seu tórax. Senti minha xaninha melar.

Minhas mãos afagavam sua nuca.

A principio senti uma certa relutância de sua parte, mas logo em seguida ele me pegou no colo, passei as pernas em volta da sua cintura e pressionei mais meu corpo.

Ele me apertava em seus braços, beijava meu rosto, mordiscava meus lábios, enquanto suas mãos ansiosas moldavam meu corpo de encontro ao seu.

- Louquinha....estava louco de saudades de você...

- Oh não agüentei ficar longe....preciso de você , te quero...

Com toda gentileza ele me deitou na cama e veio por cima de mim como um LOBO faminto.

Mordiscava meu pescoço, apertava meus seios, sentia seu membro duro encaixado no meu ventre.

“Nossa, como era gostoso, aperta-lo em meus braços”, mordisquei o lóbulo da sua orelha.

- Amor Meu...faz amor comigo? Falei baixinho em seu ouvido.

Senti suas mãos percorrerem minhas pernas, coxas, indo até a minha xoxota molhadinha.

- Que delicia amor meu...

- Meu tesão gostoso...- sua voz rouca de tesão

Apertei o volume teso do seu cacete, fazendo-o estremecer, ele sentia meu toque possessivo, urgente.

Ele não parava de acariciar meu corpo, se afastou e olhou-me , enquanto eu tremia em seus braços.

- Amo você! – murmurou ele com desejo.

Soltei o cinto da calça dele e abaixei o zíper enquanto ele tirava a camisa e os sapatos.

Ajoelhei-me, puxando sua calça e sua sunga para baixo.

Seu cacete surgiu diante dos meus olhos apaixonados.

- Que gostoso...- estendi a ponta da língua e lambi a glande.

- É todo seu..

O lambi lenta e provocantemente, deixando-o brilhante com a minha saliva.

Senti suas mãos em meus seios, massageando-os deixando os biquinhos durinhos e vermelhinhos.

- Como você me faz falta!!! – exclamei, olhando-o e logo em seguida fazendo seu pênis escorregar sobre minha língua e sumir pela minha boca sedenta.

Ele sentia o quanto eu estava excitada, segurando-me pelos ombros, ergueu-me.

Beijou meu pescoço, ombros onde tenho algumas sardas, desceu para os meus seios e para o meu ventre.

Eu estava arrepiada, não vendo a hora de ser possuída pelo meu macho, meu homem.

Minhas pernas tremiam, ele enfiou sua língua e tocou meu ponto G. Os pirmeiros orgasmos me abalaram. Mordi os lábios para não gritar escandalosamente.

Sua língua tocou minha vulva, deslizando possessivamente pra cima e pra baixo, levando-me a loucura.

- Ohhhhh mais...ohhhh que língua gostosa amor...meu cachorro...meu safadinho..

Ele não parava um segundo.

- Ohhh está me tirando o fôlego...ahhhhh está me deixando maluca...

- E eu já estou maluco por você , meu tesão, minha putinha...minha devassa...- respondeu ele apertando minhas nádegas.

Eu estava toda arrepiada, não parava de estremecer, gozar, movendo a cabeça de um lado para outro.

- Venha cá...foda-me logo...foda-me e me beije para que eu não grite!

Nus na cama, ele abraçou-me e ficamos esfregando nossos corpos quentes com desejo.

- Põe...põe tudo agora! – supliquei enquanto guiava seu pênis para o meio das minhas coxas.

Eu fui subindo pelo corpo dele, ele segurou-me pelas nádegas e eu sentei nas coxas dele, deixando minha bucetinha se esfregar no cacete rijo.

Ele o dirigiu para minha bucetinha melada, enfiando a pontinha e tirando, me deixando mais e mais louca.

De repente me puxou e numa estocada firme me penetrou fundo.

- Que xoxota gostosa...tão apertada...tão quente...tão lisinha...- quase sem fôlego, ele se enterrava mais e mais

Eu continua estremecendo, com a minha boca agora colada na dele, sugando-lhe a língua, gemendo de gozo, enquanto ele iniciava movimentos potentes e vigorosos.

- Maissssssss...assimmm... Com força! Ah...que tesão..Estou derretendo..estou explodindo...ohhhhh – eu gemia e falava.

Ele enfiou sua língua na minha boca, colando seus lábios aos meus, enquanto seus quadris arremetiam-se sem dó na minha xoxota.

Meu corpo se enrijeceu, fiquei imóvel, a respiração apressada e entrecortada.

O mesmo acontecendo com ele, com minhas unhas fincadas em suas costas ,sentia seu pênis pulsar e jatos e jatos de porra me inundarem.

Ambos havíamos gozado juntos. Eu contraia os musculos da xoxota , sugando cada gota do seu esperma que saia.

Suas mãos apertavam meus seios.

- Amo você , sabia? – confessou ele puxando-me para si.

Nossas bocas se encontraram, as linguas se estenderam.

O beijo foi longo e excitante. Nossas mãos tocavam os corpos um do outro com possessividade.

Me esfreguei nele com volúpia. Enquanto ele me beijava e mordiscava meus lábios.

- Amor...senti saudades

- Eu também...voce é louquinha...

- Humm por você..

Demos uma pausa, bebemos e comemos.

Mas a saudade era tanta, que logo depois, começamos tudo de novo.


Escrito por Ayeska

Nenhum comentário: