terça-feira, 15 de setembro de 2009

Um dia no Paraíso

 



A noite tinha sido chuvosa, a madrugada carregada e lamuriosa e o barulho da bica derramando água e as goteiras aos poucos cessavam, e antes do dia nascer a chuva havia passado. As nuvens se dissipavam e a aurora se anunciava preguiçosa e logo o Sol surgiu glorioso anunciando o novo dia. Eu havia despertado depois de um sonho lindo, e eufórico saltei do pequeno colchão estirado ao chão e pelas frestas do telhado eu podia ver os raios do sol invadindo o recinto. Que dia lindo.
Ao sair lá fora, o cheiro de terra molhada e o azul do céu me davam as boas vindas, a relva viçosa ainda carregada com gotas d’água e a neblina moldavam a paisagem linda ao meu redor. Eu tive um pressentimento agradável e uma felicidade me encheu o peito. Eu não sabia se ela tinha recebido meu recado e não estava certo se ELA conseguiria achar o caminho, mas, eu estava torcendo para que ela conseguisse. Mesmo distante meus pensamentos estavam focados nela.
Eu tinha explicado certinho o caminho por telefone, disse que na estrada tinha uma Placa enferrujada e que devia virar na primeira curva a direita, uma estradinha apertada e cheia de curvas, e logo depois de um riacho tinha uma colina muito linda e um bosque sossegado com muitas arvores e do outro lado tinha uma casinha de madeira escondida entre as arvores, onde eu estaria dormindo esperando por ela.
Desci correndo até o riacho e dei um mergulho naquela água fria e cristalina me revigorando a alma e os sentidos, o Sol me tocava o rosto e um calor me subiu o corpo quando avistei seu carro lá no fim da estradinha perto da colina. Meu coração palpitou e os meus olhos vasculharam o bosque e lá em baixo de uma arvore, deitada sobre a relva ELA estava lá, parecia que estava dormindo intocada e linda, seu corpo divino se destacava entre as folhagens verdes. O vento e o sol anunciavam o Verão, e sem demora corri ao seu encontro, em silencio, sem despertá-la, ao chegar perto ela estava dormindo descansando da viagem... aproximei-me bem devagar.
Aproximei meu rosto junto ao dela, sentindo o cheiro de seus cabelos e o perfume de seu corpo, por um breve momento contemplei seu rosto lindo e seus lábios demonstrando estar sorrindo como se estivesse tendo um sonho lindo.
Ela estava tão linda com aquele shortinho jeans curtinho valorizando suas pernas volumosas, e sua blusinha amarrada exibiam seus lindos seios recobertos por aquele soutien pequenino, seu corpo de mulher menina pecaminosamente esculpido pelos deuses do Amor me deixavam louco de desejo.
Retirei minha camisa molhada e jogando ela de lado me aproximei de seu corpo feminino ficando por cima dela sem tocá-la, e cheguei minha boca bem perto de seu pescoço sentindo o cheiro de seu perfume tocando de leve a minha face na pontinha de seu nariz, quando percebi que ela iria acordar, recobri seus lábios carnudos com a minha boca e envolvi sua lingüinha macia num beijo gostoso e demorado trazendo ela de volta daquele sono tranqüilo. Seus olhos se abriram e me fitaram enquanto ela me abraçava me trazendo pra junto dela... nossos corpos se juntaram, meu corpo envolveu seu corpinho lindo e por cima dela fui tirando aos poucos suas pequeninas peças de roupa deixando o seu corpo nu, ela com suas mãos delicadas deslizavam sobre meu peito molhado e quente de desejo. Deitei-me sobre ela sentindo seus seios fartos de contra meu tórax e uma brisa suave refrescava nossos corpos ardentes de desejo.
Com a mão direita deslizei sobre suas pernas e sentindo o calor de suas coxas tremulas ate encontrar sua vagininha molhada ainda protegida por aquela calcinha de rendas toda encharcada e meladinha, e com muito jeito, trocando os dedos liberando seus lábios lascivos até dedilhar seu grelinho ávido, lhe fazendo enrijecer como suave toques, fazendo seu corpo se contorcer, ela soltou um gemido abafado enquanto eu lhe mordia a orelha e minha respiração ofegante tocava sua pele lhe faziam ter espasmos de prazer. Eu arranhava seu pescoço com meus dentes esboçando mordê-la de maneira forte enquanto sentia ela deslizar suas mãos até meu membro rijo até segurá-lo firmemente. Num movimento suave recostei meus lábios em seus ombros beijando sua pele macia e com a língua percorrendo sei peito até envolver seus seios sentindo o biquinho durinho enquanto minha língua o massageava em movimentos circuncisos e lentos.
Ela jogou sua cabeça pra trás languida erguendo seu corpo procurando ser envolvida e penetrada enquanto suas mão massageava meu pênis com determinação e carinho. Senti seu corpo febril, ela estava quente, ardendo de desejo. E enquanto eu a envolvia, seus lábios esboçaram palavras espremidas me dizendo baixinho enquanto eu mordia seus seios fartos...
-- Senti sua falta, não fuja de mim novamente.
-- Estou aqui, vc me achou.
Eu estava completamente arrebatado pelo calor de seu corpo, e me deixei ser levado pelas suas fantasias, eu queria sentir ela conduzindo meu corpo aos seu bel prazer, e pra minha surpresa ela segurando meu membro bem firme me trouxe pra perto de seus peito me fazendo tocar o pênis nos seus seios colocando-o no meio de suas divisórias, depois os apertou contra meu membro e começou a massageá-los em movimentos de vai e vem, me dizendo...
-- Me acompanha, quero vê-lo gozar.
-- Tem certeza disso?
-- Sim... quero sentir o seu corpo, seu membro e o seu leite quente a banhar meu rosto.
-- Hummm... que gostoso.
Eu estava arrebatado de tesão ao ver aquela fêmea suplicando pelo meu leite, sedenta, faminta, eu vibrava de tesão ao sentir aqueles seios fartos envolverem meu membro, ela massageava com força enquanto mordia os lábios observando a glande do meu membro sendo castigada pelos seus seios ardentes, me veio um tesão enorme ao sentir que estava quase gozando, eu nem mesmo queria segurar, deixei rolar sem pudores, já que queria ver ela toda banhada com meu leite. Não demorou muito e quando ela percebeu o meu clímax apertou bem seus seios e com força e alguns movimentos a mais, me fez gozar divinamente, me fazendo explodir num gozo desenfreado e meu esperma a jorrar sobre sua face, pescoço e sobre seu peito, eu URREI de prazer....
--Ahhhhhhhhhhhhhh...
-- Foi maravilhoso, meu querido.
Seus olhos me fitavam, e eu abrindo um sorriso, peguei na minha calça estirada logo do lado, e tirando um lenço do bolso limpei seu rostinho lindo, e, depois disso sem demora, comecei a correr minha lingüinha sobre seu peito... descendo... descendo até os lábios de sua bucetinha molhada. O seu corpo nu ali deitada me fez contemplar por um instante, e num súbito momento queria ser um predador e devorá-la todinha, meu instinto de macho aflorava os poros de minha pele, e um novo calor me subiu os sentidos me fazendo ficar aceso novamente, aquele sentimento me guiavam me fazendo desejá-la, eu queria possuí-la, fazê-la sentir o meu corpo a preencher seu sexo sedento e lascivo. De repente me afasto ligeiramente começando pelos pés, beijando seus dedinhos, subindo, beijando seu tornozelo e seus joelhinhos passando a língua sobre suas cochas alternando, direita, esquerda, enquanto eu olhava os seus olhos a me fitar, me devorando com seu olhar de LOBA. Eu a beijava suavemente, recostando meus lábios em sua pele febril, ela estava quente, sua pele estava molhada de suor e seu perfume e o cheiro de sua pele feminina me deixavam louco, e quando aproximei minha boca bem perto de sua vagina vendo seus lábios vaginais aflorados e dilatados, rosadinha e toda meladinha senti o cheiro delicioso que me fez sentir um frio na barriga e um frisson percorreu minha pele e o meu membro já ereto chegou a doer de tão duro, como um garanhão sentindo o cheiro de sua Fêmea do CIO.
Quando me dei por mim, já estava abocanhando sua vagininha macia e meladinha, percorrendo cada dobrinha, cada pedacinho daqueles lábios tesados de desejo, massageando seu grelinho com minha língua ávida lhe fazendo apertar suas cochas contra a minha cabeça, escutei ela urrar de desejo...
-- Ahhhhhhhh... hummmmm....continua... vaiiiiii...mais.... assimmmmm.
Eu acelerei os movimentos com minha língua sentindo ela se contorcer nos meus braços, e num espasmo forte... ela curvou seu corpo pra cima e cerrou suas mãos sobre a manta que deitava por cima e gritou forte...
-- Eu vouuuuuuuuu GOZARRRRRRRRRRRRRRR..... Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh.
Sua bucetinha ficou realmente muito quente, e dava espasmos enquanto eu sentia ela gozando forte... o seu suco vaginal delicioso inundava minha boca e escorria por entre suas pernas. Eu fui ao delírio sentindo minha fêmea gozando forte ao sabor de minhas chupadas. Ela estava toda molinha, dava pra ver seu rosto vermelhinho enquanto ela mordia os lábios com seus olhos fechados lacrimejando de tanto tesão... aquilo me fez vibrar. Sem deixar ela acordar daquele transe... me debrucei por sobre ela sem encostar meu corpo por sobre, toquei sua face à minha sentindo seu rosto febril e sua respiração ofegava soltando soluços reprimidos sentindo seu corpo trêmulo.
E sem mesmo qualquer aviso, me deito por cima dela, a envolvendo por completo e num único movimento me lanço por entre suas pernas e a penetro forte... numa única estocada fazendo seu corpo ser impulsionado pra frente, e em resposta ela lança suas mãos por sobre minhas costas me arranhando som suas unhas afiadas e felinas, nós “dois” deixamos escapar gemidos abafados de prazer... de entrega total, arrebatados no ápice do amor, nossos corpos suados se deleitavam ao sabor do ato. Um momento sublime que nos fazia cúmplices da paixão, respondendo a cada movimento, o instinto nos faziam livres.
Depois daquela estocada forte, ela me abraçou com suas pernas e com os ombros apoiados encontrei uma posição confortável trazendo o corpo dela bem junto ao meu, e com estocadas fortes porem pausadas comecei a impor um ritmo gostoso, e a cada estocada forte eu sugava sua respiração enquanto a beijava sentindo sua lingüinha envolver a minha e pequenos gemidos se sentia sendo liberados por sua garganta suadinha, e com uma das mãos eu massageava seus seios que balançavam ao sabor de minhas estocadas... eram penetrações fortes, compassadas, ritmadas e objetivas, e vez ou outra dava um juntada nela só pra ver a reação de seu corpo sentindo meu pênis pulsando dentro de sua vagininha quente e gulosa. Nossos corpos estavam banhados de suor, e aos poucos eu sentia meu orgasmo chegando cada vez mais, as vezes parava um pouco pra prolongar mais o ato sentindo ela gozando seguidamente fazendo seu corpinho girar de um lado pra outro em movimentos lascivos, que me deixavam louco.
Eu já começava a sentir as pernas doerem e o cansaço chegando junto com o orgasmo que vinha decidido, me fazendo então acelerar os movimentos e a forçar mais cada estocada. Fazendo ela Urrar novamente até que senti que não agüentaria mais... e cerrando os dentes e com muito esforço falei baixinho pra ela...
-- Me abraça forte, minha querida... eu vou gozar forte.....
-- Goza comigo meu Amor...vai mais forte.... mais forte...maisssssssssssss
Ela me abraçou forte e me acompanhando nos movimentos forçando suas pernas contra as minhas, senti meu corpo ser tomado por um frenesi enlouquecedor, até explodir num orgasmo AVASSALADOR, eu dei um urro de prazer... sentindo meu esperma jorrando dentro de sua vagininha quente...
-- Orrrghhhhhhhhhhhhhhhhh,
-- Hummmmmm que delicia, goza forte meu Amor, goza junto comigo...assimmmmm
Desabamos juntos, agarrados ainda embriagados de prazer, sentindo nossos corpos tremerem de tesão e sendo agraciados pela sensação sublime de satisfação. Ficamos ali abraçados por um bom tempo, demoramos a nos desvencilhar de nossos corpos, e quando eu sai de dentro de sua vagininha comecei a lhe limpar o corpo e secar o suor de seu rosto com muito carinho, olhando em seus olhos lindos. O vento tocou nossos corpos desfalecidos na relva, de repente ela me mostra la longe algo que chamou sua atenção...
-- Olhe o que é aquilo? – me mostrando algo ao longe nas campinas, de cor branca e muito lindo.
-- A sim... aquele cavalo branco, lá bem distante. Rsrs, é lindo não éh?
-- Sim, é muito lindo, eu não tinha visto antes. Estava sempre por aqui?
-- Sim, ela é a guardiã desse paraíso... esse lugar lindo que vc conheceu hje.
-- Você nunca havia falado desse lugar tão bonito antes, que lugar é esse?
-- Esse lugar, muito especial que vc conheceu hje, é o cantinho mais distante do meu Coração, e vc agora já sabe como entrar, espero que fique o quanto quiser... meu Amor.
Depois daquelas palavras, não conseguimos ver, ou ouvir mais nada. Adormecidos ali juntinhos, na relva, sobre a mata, naquele dia LINDO de verão, esperando pra sermos despertados novamente, em uma outra história, em um outro conto.

Ayeska... I’ll be there, waiting for u. and remember, u’re my sunshine, u’re my everything. Keep the keys of my heart, and open it when u need my love.
Escrito por Horse_Lover

Nenhum comentário: