quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Luna Lee e os Marinheiros

Virada de ano de 2006 para 2007, nunca mais me esquecerei daqueles dias, eu servia a marinha com muito amor e fidelidade, sempre fui muito safado e sempre ganhei muitas mulheres só com meu uniforme, marinheiros parecem despertar certo fetiche nelas, as deixando loucas!
Estávamos a serviço em um Cruzeiro organizado por uma empresa particular, e fomos chamados para acompanhar a viagem e dar orientações, passaríamos uma semana na costa Brasileira saindo de Santos, no primeiro dia foi complicado, muitas orientações, muito trabalho, depois foi relaxando, havia muitas pessoas ali, famílias, amigos, enfim, a embarcação era grande e luxuosa, tinha tudo do bom e do melhor, da marinha eram somente eu e mais dois camaradas.
No segundo dia da viagem, estava fazendo a ronda nos corredores onde ficavam os quartos, era umas 09hs da manhã, alguns dormindo outros acordando, enfim, tudo seguia normalmente, foi quando passei em frente ao quarto 207 estava saindo um homem, aparentando uns 60 anos, não o conhecia, me desejou bom dia e quando ele ia fechando a porta se lembrou de pegar alguma coisa e entrou para o quarto, deixou a porta aberta, foi aí que passando por aquele quarto pude apreciar uma bela imagem, uma mulher deitada em sua cama completamente nua, e que corpo !! Fiquei até sem jeito, estava deitada de bumbum pra cima, e que bunda!!
Me deu vontade de mordê-la todinha, foi aí aqui que o homem surgiu novamente me encarando, claramente notou que eu estava a olhando, disfarcei sem graça, ele ainda foi simpático rindo, brincando que só não esquecia a cabeça pois estava grudada na cabeça.
Bom, segui com minha ronda e não tirava ela da cabeça, comentei com meus camaradas, que ficaram loucos, foi aí que surgiu a mulher mais bela que já pude ver, era ela, pois estava acompanhada daquele mesmo homem, e pelos carinhos, eram casados, era uma ninfeta para aquele velho lobo, mostrei aos amigos e todos babaram, escutamos o marido conversar com ela, descobrimos que seu nome era Luna Lee, um tanto quanto exótico e sensual, como a dona, ela estava de tênis branco e um vestido muito curtinho, azul claro e tinha um decote delicioso deixando seus seios fartos apetitivos, os dois apreciavam o mar e não demorou muito para ela perceber nossos olhares secando aquele corpo delicioso, e pra nossa surpresa notamos um leve sorriso em seus lábios , a cada beijo que ela dava no velhinho, que depois eu soube que era um puta milionário, ela nos olhava, em um momento que ela estava abraçada com ele, disse algo no ouvido dele, ele sorriu, foi aí que vimos ela virar-se de costas pra ele que a abraçou, e ficaram ali olhando a paisagem, porém disfarçadamente notamos a mão dela abrindo o zíper da calça dele, tirou o brinquedo pra fora e começou masturbá-lo, ela mordia os lábios, e volta e meia nos olhava, e nós ali, sem dizer uma só palavra, só olhando, então vimos ela fazer o velho gozar em sua bunda melando sua calcinha o vestido estava um pouco levantado, ainda colocou a mãozinha na boca degustando o sêmem de seu homem, e nos olhava, seu olhar nos matava, era sedutor, safado, tudo ao mesmo tempo. Não preciso nem dizer que tivemos que correr pro banheiro e bater uma, foi aí que tivemos a grande idéia, precisávamos foder aquela delícia.
Levantamos todas as informações sobre o casal, foi aí que descobri que ele era um empresário e escritor milionário, resolvemos atuar na noite da virada, sabíamos que antes da virada os grandes homens iriam jogar pôquer com a finalidade de ganhar dinheiro e começar o ano bem, rs ...

Chegado dia, já tínhamos tudo planejado, fiquei espiando o corredor do quarto deles por volta das 21hs, foi quando ouvi a voz do homem dizendo que estava saindo, que iria estar na sala de jogos e que ela o deveria encontrá-lo mais tarde lá, mandou-a ficar linda para aquela noite, ainda ouvi a voz dela dizendo que já estava se arrumando para ele, então o vi saindo do quarto.
Eu ia voltar pra dar um OK para meus amigos indicando que tudo daria certo, mas não resisti em passar em frente ao seu quarto e de repente dar a mesma sorte, e acreditem, não foi a mesma, mas a porta estava entre aberta, me garanti que o marido estava longe e resolvi espiar, e me deparei com a imagem mais sensual que já pude apreciar, ela tava deitada em sua cama com o pezinho esticado no ar, que pezinho!! Colocou sua meia, e foi descendo bem devagar por sua perna, meu olhar foi acompanhando cada detalhe, até ela chegar em sua coxa, era uma meia branca meio transparente, rendada, e então descendo meu olhar, vi seu sexo nu, nossa que tesão, meu pau já estava doendo de tão duro, ela então colocou os pezinhos no chão e sentou-se na cama, estava com os cabelos molhados, linda!! Logo me viu ali na porta espiando, sorriu jogando seu cabelo, abrindo suas pernas e alisava sua xaninha levemente com os dedinhos e depois os colocando na boca, ela vestia um sutiã branco, o desfez tirando ele e exibindo seus seios apetitosos, apertando eles em suas mãos, e os levando até sua boca, sua língua brincava com seus biquinhos, ela sorria, então se levantou e veio andando até mim, meu corpo ficou gelado, paralisado, vinha ela em passos leves e toda sensual, quando chegou na porta, abriu-a, ficou de frente pra mim, levou sua mão no meu rosto apertando ele, me deu um selinho em seguida um beijo de língua delicioso e com a outra mão apertou meu pau bem forte, senti ela abrindo meu zíper, uhmmm, seria a hora!! Segurou meu pau colocando-o pra fora iniciando uma leve masturbação, ela olhou em meus olhos sorrindo, sem nada a dizer sua mãos acariciava meus rosto e foi descendo até meu peito, e então me empurrou!! Cheguei a perder o equilíbrio e cair no corredor, com o pau duro pra fora, a olhava, ela então fechou a porta, me arrumei rapidamente e saí, este episódio nem contei a meus amigos.
Falei com Fred e o Bruno que estava tudo certo, o Fred e eu a agarraríamos e seria naquele momento, o Bruno disfarçaria analisando o movimento das pessoas, e depois iria pra lá, eu e o Fred fomos rapidamente para o corredor do quarto dela, ficamos espiando, então era umas 22:00hs ela saiu, estava linda em um longo vestido branco tomara-que-caia, que peitos!! Estavam saltando pra fora, usava um salto alto fino, ela passaria por nós, esperamos no canto, ela veio andando toda sexy, quando ela surgiu logo fomos pra cima dela que se assustou chegando a soltar um grito, o Fred tampou a boca dela a agarrando, agarrei-a pelas pernas e fomos a levando, carregando, ela se debatia toda, abrimos a porta que dava acesso à sala de máquinas do navio, só nós e o capitão tínhamos acesso ao local, e o capitão há esta hora estava ocupado demais, pra nossa sorte!!
Chegamos na sala, Fred a ergueu segurando os braços dela, peguei uma corda passei no cano que passava pelo teto e amarrei-a pelos punhos, bem firme, ela gritava, se esperneava pedindo pra gente soltá-la, ameaçava de contar ao capitão, e nós só ríamos da cara dela, então falei, “vamos deixá-la peladinha”, o Fred de agachou atrás dela, segurando suas pernas, mordia o bumbum dela por cima do vestindo, fui abaixando aquele vestido, que saiu facilmente, a deixando somente com um conjunto muito sexy de lingerie, um sutiã tomara-que-caia branco, uma calcinha de renda branquinha quase transparente e a cinta liga segurando a meia rendada branca , estava linda, enfiei a mão na sua xaninha por cima da calcinha esfregando meus dedos e a beijei, forçado, ela tentava sair do beijo com a outra mão segurei forte seu rosto, forçando, ela resistia, enfiei um tapa no rostinho dela, e a beijei, aí fui correspondido, ela continuava a nos xingar, Fred afastou a calcinha enfiando a língua no cuzinho dela, alternando com o dedo, e no meio dos xingamentos já ouvíamos suspiros, me abaixei, tirei seus saltos, ela já não se debatia mais, e fui tirando bem devagar sua meia, a cada parte que tirava eu dava um beijo em sua coxa, e descendo por toda extensão de sua perna, o Fred começou a fazer o mesmo, mas ainda atrás dela.
Depois de tirar suas meias, nos levantamos, tiramos nossas roupas, ela ficou nos olhando, nos xingando de tarados, mas não tirava os olhos do meu pau que estava duro, cheguei nela e puxei sua calcinha a rasgando, ela gritou, começou a espernear então o Fred colou atrás dela roçando seu pau naquela bunda gostosa, e eu na frente a agarrei pelo cabelo e beijei-a, meu pau roçando naquelas coxas e em seu sexo, o Fred mordia sua orelhinha, pescocinho, sentimos seu corpo se entregando aos poucos, depois me agachei, segurei suas pernas as colocando sob meus ombros e comecei a chupar aquela xaninha gostosa, meu amigo não se fez de rogado se abaixando também e metia a língua naquele cuzinho, foi neste momento que o Bruno chegou com duas garrafas de champanhe, meio bêbado e falando, começaram a festa sem mim!!! Rs... O bicho já foi ficando pelado, e veio derramando champanhe no corpo dela, que escorria e eu tomava ali mesmo, chupando sua xaninha, Bruno a beijou, ela já não resistia mais, depois jogou novamente champanhe nos peitos dela e os chupava, concordamos em desamarrá-la, me levantei e soltei a corda, e pra nossa surpresa ela nem ameaçou sair correndo, ela se abaixou na minha frente me olhando, com a mão no meu pau me masturbando, começou então me chupar, depois os outros vieram e ela foi alternando, chupando e masturbando dois e assim foi.
Depois me deitei no chão, puxei-a, fazendo-a sentar no meu pau. Huummm, que delicia aquela xaninha! Apertadinha, ela foi cavalgando. Eu agarrava aqueles peitos em minhas mãos, a puxava pra que eu pudesse chupá-los, logo depois o Fred abriu a bunda dela, cuspindo no seu cuzinho, enfiava uns tapas também naquela bunda, e ela rebolava, então o Fred foi socando a rola aquela bundinha, senti a mão dela que estava em meu peito me arranhar com suas unhas, o Bruno em pé segurando-a pelos cabelos a fez chupar seu pau, ela chupava com sede, ele ainda com a garrafa de champanhe na mão, despejava em cima do corpo dela, e segurou sua cabeça bombando o pau na boquinha dela, e assim fomos fodendo aquela delícia, e nos revezando mudando de posição, o Bruno foi o primeiro a cair deitado, de não agüentar mais, eu e o Fred ainda a fodíamos muito, agora eu estava com aquele cuzinho, delicioso, quando sentíamos que íamos a encher de porra, saímos dela, ela se ajoelhou, nos masturbando, até que gozamos na carinha dela, na boca, ela chupava nossas rolas sugando tudo.
Ela sorria, se levantou falando:
- Obrigada meninos foi demais! Preciso ir senão meu marido desconfia.
Eu me ajeitei junto com ela, o Fred e o Bruno ficaram ali deitados no chão, saímos juntos, sempre olhando pra ver se ninguém nos via, fomos para o quarto dela, chegando na frente nos beijamos, no corredor mesmo, sentia sua mão apertando meu pau e abrindo o zíper, tirou ele pra fora, olhou para os lados, se abaixou e me chupou.
Huummmm!!! Até me fazer gozar na sua boquinha, ela engoliu tudo, tinha um sorriso safado, se levantou, me deu um selinho, e entrou em seu quarto.
E foi assim que saciamos nosso prazer com aquele belíssimo corpo de Luna Lee .

Escrito por SenhorDosContos

Nenhum comentário: