terça-feira, 28 de julho de 2009

Uma Grávida no Cio

Olá a todos, estes dias li um relato aqui com o título de Sogro Tarado e gostei muito, o sogro do conto parece muito com o meu, safado e gostoso RS. Por isto resolvi também relatar como cedi às taras do meu querido sogrinho.

Estou há cinco anos casada e sempre meu sogro se mostrou um senhor bem safadinho. Suas brincadeiras sempre abraçando e dando sempre um jeito de roçar seu pinto na gente, sempre me foi um tanto quanto constrangedoras. Bastava seu filho estar fora do alcance que ele começava a me bombardear com seus olhares e elogios mal intencionados.

Fato é que eu engravidei, soube quando estava no segundo mês, todos ficaram muito felizes, porém um problema começou a ocorrer. No terceiro mês meu marido passou a me evitar na cama, o pior que sempre fui uma mulher, como posso dizer, uma puta na cama, safada, adoro sexo, RS ... pronto falei! RS

Eu o procurava, mas ele dizia que era melhor não por causa do bebê, poxa vida em pleno século 21 ele ainda acreditava em certos tabus! Expliquei a ele tudo, minha gravidez não era de risco, tentei tranqüilizar, mas não adiantou ele ficava até nervoso comigo quando tocava no assunto.

Eu já estava desesperada, subindo pelas paredes já apelava para os meus bons e velhos dedinhos. O mais engraçado é que, se eu estivesse feia, mas não, quando passo pela rua ainda escuto várias chamadinhas “o gostosa”, “que delicia”, coisas que hoje ajudam a manter meu ego. RS

Estava no quarto mês, e combinamos de descer para praia num final de semana, temos um apartamento lá. Foi meu marido, eu, meu sogro e sogra.

Era Sábado pela manhã quando saímos, lembro do olhar do meu sogro quando me viu; safado como sempre. Eu vestia uma blusinha branca decotada, sem sutiã, mas não era transparente, estava até comportada com exceção dos meus peitos que quase pulavam pra fora, RS, e exibia toda minha barriga que ainda não estava tão grande, mas já ganhara certo formato.

Entrei no carro, eu fui atrás e adivinha quem veio logo ao meu lado? Meu sogro! E me comendo com os olhos. A viagem começou, até certa parte conversávamos e riamos bastante, mas depois o assunto foi acabando e o silêncio se estabeleceu. Em alguns minutos já se foi possível ouvir minha sogra, que estava no banco a minha frente, roncando.

Após algumas horas meu marido parou em uma destas lojas de conveniência, desceu perguntou se eu queria sair eu disse que não. Eu estava sonolenta, de olhos fechados quase que caindo num sono completo e minha sogra continuava dormindo. Foi quando me assustei com uma mão acariciando minha barriga, abro os olhos era meu sogro!

Com aquele seu sorriso safado admirava-me acariciando minha barriga, o que eu iria fazer? Não dava pra não deixá-lo, era seu neto ali, porém suas caricias começaram a me arrepiar e eu comecei a desejá-las e querer mais do que aquilo, mas eu só o olhava. Foi então que ele me perguntou baixinho:
- Meu filho não anda te procurando não é?

Estranhei a pergunta, e ele prosseguiu.

- Ele me falou, conversamos. Falei a ele que tudo isto é lenda, mas o cabeça dura não entende. Ele não tem nem idéia de como é gostoso. Inclusive nesta época, vocês parecem ficar mais. – fez uma pausa – gostosas.

Sorri ao ouvi-lo dizendo isto, e logo senti sua mão escorregando por entre minhas coxas. Logo meu sogro estava esfregando seus dedos na minha xaninha por cima da calcinha, eu o olhava corada, olhava pra fora pra espiar onde estaria meu marido e minha sogra continuava dormindo.

Lancei um novo sorriso a ele como se autorizasse aquilo, ele então me surpreendeu ao chegar seu rosto no meu e me beijar. Nossa! Que delícia de beijo, que língua safada, ao mesmo tempo ele enfiou a mão dentro da minha calcinha e massageava meu grelinho e bolinava minha xaninha socando seu dedo nela.

Meu sogro abriu o zíper de sua calça e tirou sua rola pra fora, e que pau gostoso! O segurei em minha mãozinha e fui o punhetando enquanto ele tocava intensamente minha xaninha. Com a outra mão meu sogro levantou minha blusinha deixando meus peitos de fora e logo ele se inclinou passando a mamá-los, que loucura! Eu olhava pra fora, não via meu marido e também não havia ninguém próximo.

Eu me segurava pra não gemer alto e acordar a querida sogra RS que estava me fazendo um favor e me emprestando seu macho. Meu sogro intensificou os toques na xaninha e acreditem o filho da mãe me fez gozar!!!!! Ele me olhava satisfeito.

Ofegante, comecei a ajeitar-me, arrumei minha blusinha e a calcinha, que estava ensopadinha. Ainda ficamos trocando beijos e eu brincava com seu pau até avistarmos meu marido vindo.

Continuamos a viagem e em umas duas horas chegamos ao apartamento. Fazia um dia lindo de muito sol. Logo fomos à praia, coloquei um minúsculo biquíni e me sentia safada, uma putinha me exibindo pro sogrinho que sorria e sorria, aquele velho tarado RS.

Depois da praia fomos para o prédio do apartamento e ficamos na piscina, o bom é que era fora que época, tinha quase ninguém na praia e na piscina só estava agente mesmo. Depois de um tempo de piscina combinamos de subir um a um para tomar banho, eu fui a primeira a subir.

Quando estava no apartamento não parava se pensar no sogro e no que havia acontecido no carro. E quando eu estava no quarto, nua, pegando a toalha na mochila sinto uma rola rígida encostar-se na minha bunda, ergui assustada, mas quando olhei, era meu sogro! Já agarrando meus peitos e apertando-os em suas mãos e me beijou.

Ele então disse:

- Vem vamos tomar um banho juntos.

Nem me preocupei em como fez para estar ali sozinho e nu! Ou se de repente poderia aparecer meu marido ou minha sogra. Entramos no banheiro, ligamos o chuveiro e meu sogro me seu um divino banho de língua, nossa, me chupou todinha! Quase gozei com sua língua safada na minha xaninha.

Depois me pegando por trás, ajeitou sua rola na minha xaninha e penetrou, que delícia! E metia gostoso, e como era bom sentir aquele seu pau dentro da minha xaninha, causava uma sensação nova, bem diferente e extremamente prazerosa.
Meu sogro me fez gozar novamente, agora com seu pau na minha xaninha, e quando gozei ouvi suas palavras:

- Uhmm é disto que estou falando, olha que delicia!
Minha xaninha mordiscava seu pau querendo engoli-lo e em segundo fiz o velho gozar me enchendo com sua porra. Ele ainda foi extremamente carinho ao realmente me dar um banho, passando o sabonete em todo meu corpinho, jogando água e por fim me secando.

Trocamos ainda alguns bons beijos e depois ele disse que era melhor eu descer para o saguão. Ele ficou lá terminou seu banho e depois me encontrou lá no saguão, os outros foram subindo um a um como combinado. Meu marido nem desconfiou do ocorrido, e claro que ocorreram outras vezes, hoje já tenho minha filhinha linda, mas adivinhem, RS ... Quando dá meu sogro continua me comendo bem gostoso, ah posso desfazer dele, logo ele que me ajudou tanto em época tão difícil RS. Espero que tenham gostado do relato.

Escrito por Dom Gaspar

Escritor.DomGaspar@Gmail.com

Nenhum comentário: