quinta-feira, 9 de julho de 2009

A Loba e o Jovem Rapaz

Vera, 45 anos, uma bela mulher, uma verdadeira loba com sua beleza e mistério. Era dona de uma sensualidade plena, corpo pecaminoso era capaz de deixar muitas jovens garotas popularmente falando “no bolso”! Mas ela não tinha consciência deste seu poder, sempre se manteve recatada, uma mulher do lar.


Era casada, tinha um filho já adulto e pai de família. Atualmente morava somente ela e seu marido em uma casa enorme, o a que trazia uma sensação de vazio, principalmente por não estar bem com o marido há certo tempo.

Teme que o marido tenha uma amante, algo muito evidente inclusive por suas atitudes, o que a deixa extremamente triste e carente. Eis que numa manhã de quarta-feira a campainha tocava insistentemente, Vera ainda estava na cama, eram 9hs da manhã. Levantou irritada; o marido já havia saído para ir trabalhar.

Vera então se sentou a beira da cama, colocou seu tamanco e levantou-se. Lavou o rosto rapidamente e foi até a sala, espiou pela janela e viu que era o rapaz da loja de móveis e lembrou-se que era para montar o armário novo de seu quarto, já estava esperando-o há cinco dias. Vera saiu nervosa com o rapaz, exclamando:

- Mas que demora para vir eihnn!! E quando vêem aparecem justamente no horário mais inconveniente, nunca mais compro nada nesta loja!

Porém de repente ela para ao notar o olhar e a expressão de surpresa do jovem rapaz. Reparou que aquela expressão não era pelo fato de estar nervosa, olhou para si, e soltou um breve grito. Sua camisola estava toda aberta, exibindo seu belo corpo, ela usava uma calcinha branca de renda e estava sem sutiã. Num impulso rápido fechou a camisola, olhava para o rapaz vermelha de vergonha, ele também ficou corado, constrangido pela situação, mas não parava de olhar.

Vera ficou mais nervosa ao ver que não adiantou nada fechar sua camisola, pois ela era toda transparente, ficou desconcertada imaginando que estaria pagando um papelão diante do rapaz e voltou correndo para dentro de casa. Chegou ao seu quarto, estava ofegante, colocava a mão na cabeça, respirou fundo, após alguns segundos começou a rir sozinha da situação.

Vera colocou um vestido azul claro, era bem curto, tinha um decote tentador que deixava seus grandes seios uma verdadeira tentação. Ela desceu e foi abrir o portão para o rapaz, já não estava mais nervosa e pediu desculpas a ele pelo ocorrido.

O olhar dele a devorava por inteiro, seus seios que pareciam saltar daquele decote serviam de aeroporto para os olhos daquele jovem. Eles entraram, e ela foi subindo as escadas em direção a seu quarto com ele a seguindo, devido o vestido curto ela sabia que ele a olhava, e de fato o rapaz contemplava suas pelas pernas e parte da polpa se sua bunda.

Chegando ao quarto, Vera mostrou onde deveria ser montado o armário o rapaz mal conseguia responder ou falar nada, estava corado, então Vera começou a sentir um cheiro de pureza no ar, pelo jeito o rapaz era virgem e isto a deixou extremamente excitada. Vera perguntou:

- Qual seu nome rapazinho?
- Ronaldo.
- Uhmm Ronaldo.

Vera começou a rodear o rapaz o olhando de forma sensual e provocativa. E ele por si a olhava como presa fácil; estava surpreso e era nítido que não sabia que atitude tomar. Vera lançou um belo olhar no volume de sua calça e passando a língua nos lábios o provocava e em seguida sorrindo segurou Ronaldo pelos braços e o empurrou fazendo o cair no chão.

O jovem rapaz olhava assustado para ela deitado ali no chão. Vera tirou seus tamancos e veio andando até ele, sempre muito sensual, levou um pezinho nas coxas de Ronaldo e foi subindo até o volume se sua calça onde o pressionava apertando o seu pau entre os dedos do pezinho.

- Tire sua camisa Ronaldo.

Ronaldo afobado a tirou rapidamente, era possível notar de longe a respiração ofegante do rapaz. Vera foi subindo o pezinho pelo abdômen bem definido do garoto, depois pelo peitoral até entregá-lo em sua boca e ordenou.

- Chupe-o.

Ele segurou seu pezinho e passou a chupá-lo, Vera estava excitada, fechava até os olhos entregue as caricias do rapaz. De repente Vera lhe lançou um olhar firme e disse:

- Levanta-se.

O garoto se levantou e Vera encostou-a na parede e começou a beijá-lo e ao mesmo tempo levou a mão no volume que seu pau exercia na calça, o apertando firme. Ronaldo tinha um beijo atrapalhado, inexperiente, mas ela gostava. Vera afastou-se levemente o olhando com um sorriso malicioso.

- Você ainda é virgem, não é Ronaldo?

O rapaz ficou vermelho como um pimentão, mal conseguia falar e meio a gaguejos saiu um sim confirmando sua inocência e inexperiência. Vera sorria, e o olhando de forma graciosa colocou as alcinhas do seu vestido de lado e deixou o deslizar sob sua pele, ficando só de calcinha na frente daquele jovem.

Segurando as mãos de Ronaldo Vera às colocou sob seus seios, e perguntava:

- Nunca tocou uma mulher desta forma?

Ronaldo massageava timidamente os seios de Vera, aquela inocência e seu jeito puro era o que mais a excitava. Então segurou uma das mãos dele e a deslizou para dentro de sua calcinha.

- Sinta isto querido.

Ela encostou-se no peito de Ronaldo; estava trêmula de excitação aos sentir os dedos dele a tocando.

- Isto querido toque-me, sente como ela te deseja.

Há certo tempo não era tocada por seu marido, que não a procurava mais na cama, sentia-se carente, estava com o tesão a flor da pele. Ao pé do ouvido de Ronaldo ela sussurrou pedindo para ele tocar-lhe mais forte e logo começou a beijar o rapaz. Ele começou a intensificar os toques, Vera abraçava o forte e gemendo bem gostoso, até que ele fez-a gozar!

Vera soltou um forte urro, suas pernas se enfraqueceram e ela caia no chão se segurando no rapaz. Ronaldo a olhava assustado perguntando:

- Esta tudo bem?
- O que aconteceu?

Os dois sentados no chão, ela o olhava e ria, dizendo:

- Começou muito bem querido, já fez uma mulher como eu chegar a um orgasmo com apenas os toques de seus dedos.

Vera sentou-se a beira da cama, colocando os pés para cima dela e abriu as pernas exibindo seu sexo molhado, seu mel escorrendo por sua menina. Ela tocava sua xaninha com os dedos.

- Venha aqui querido, não tenha medo. Falava isto sorrindo.

Ronaldo chegou bem juntinho. Vera levou o dedo que estava em sua menina até a boca dele, fazendo-o chupar.

- Este líquido é o resultado de levar uma mulher as nuvens meu anjo.

Segurando os cabelos de Ronaldo ela levou sua boca até sua xaninha.

- Agora me chupe, bem forte e gostoso.

Ronaldo a chupava, no início meio atrapalhado, mas rapidamente pegando o jeito e já a levava-a um intenso prazer. Vera voltara a gemer como uma cachorra no cio com Ronaldo a chupando forte. E meio a gemidos ela disse:

- Ai seu safado, vai me fazer gozar de novo.

Quando terminou de dizer isto Ronaldo a surpreendeu ao socar um dedo na sua bucetinha, e sua língua massageava seu grelo. Fazia seus movimentos de forma intensa e afobada. Foi o que fez aumentar a intensidade dos gemidos de Vera que se podia ouvir sem problemas pelos vizinhos.

Ronaldo então repetiu a façanha a fazendo gozar novamente, ela se contorcia e ele de pé ao lado da cama a olhava, admirado. Vera olhou para o garoto como uma fera selvagem, chegando a deixá-lo sem graça, segurou-o pelos braços e o jogou na cama. Deitou sob o corpo dele e beijaram-se.

Enquanto se beijavam Vera enfiou a mão debaixo do colchão, depois esticava os braços de Ronaldo para cima, ficou sentada sob ele com a xaninha nem sua boca que sem demoras voltou a chupá-la e só parou quando assustou ao perceber que suas mãos estavam algemadas no alto da cabeceira da cama.

Ela ria intensamente ao perceber o olhar de assustado do rapaz. Vera começou a desfazer a calça do garoto e foi a tirando. Deixou o rapaz de cueca, inclusive uma cueca de pano, nada sexy, ela o olhou sorrindo.

- Precisamos melhorar isto eihnn garoto, você é gostoso demais pra usar isto ai.

Assim que terminou de falar ela foi tirando sua cueca, disse sorrindo:

- Mas que conteúdo formidável!

E logo passou a chupar o sexo do rapaz como uma loba sedenta. Olhando-o bem safada Vera colocou aquela rola entre seus belos seios e pôs a fazer uma incrível espanhola. Ronaldo fazia cara e bocas na cama, e ela se divertia com ele. Até que o menino não agüentou e acabou gozando nos peitos de Vera.

- Uhmmm menino, que delícia!

Vera estava sendo uma verdadeira professora para o rapaz, começou a punhetar e chupar o menino, e o pediu de forma calma para tentar segurar um pouco mais. Ele apenas indicou com a cabeça que sim, entendendo o recado.

Logo ele estava novamente excitado e Vera subiu em cima do garoto, ajeitou sua rola em sua menina e começou a sentar. Suas unhas arranhavam o peitoral de Ronaldo conforme aquele pau ia entrando.

Ela começou a cavalgar, aumentava o ritmo a cada minuto, rebolava bem gostoso em cima do garoto. Depois de algumas cavalgadas; Vera chegou ao seu terceiro orgasmo! Ela não acreditava naquilo, nem seu marido conseguira o feitio.

Deitou sob o peito do jovem rapaz, ofegante; rebolava no pau dele e seus movimentos torturadores fizeram-o gozar inundando sua xaninha. Ela olhou para ele, Ronaldo parecia novamente como um pimentão de tão vermelho, provavelmente pelo seu belo esforço de segurar seu gozo.

- Uhmm muito bem Ronaldo, aprendeu direitinho.

Beijaram-se e em seguida adormeceram ali, aquela forma. Próximo do meio-dia Vera acordou, deixou-o algemado e dormindo, preparou uma salada de frutas especial e foi servi-la a Ronaldo, deixando-o sempre algemado, e assim ele ficou.

Eles transaram a tarde toda; ela o fez de escravo sexual e por volta das 18hs ele novamente dormia na cama. Vera estava em pé junto à porta de seu quarto olhando aquele jovem rapaz em sua cama. O telefone então tocou, ela pegou o telefone sem fio, e atendeu, era seu marido.

Ronaldo acordou com o toque do telefone e foi abrindo os olhos lentamente e vendo Vera completamente nua em sua frente ao telefone. Enquanto falava, sorria para ele. E as únicas frases que Ronaldo compreendeu, foram:

- Vai chegar mais tarde então amor .... não tem problema.

Assim que Vera desligou o telefone, pulou para cima de Ronaldo, soltou as algemas do rapaz que rapidamente a envolveu em seus braços a virou na cama e ficando entre as pernas dela penetrou-a forte.

Ficaram transando até por volta das 22hs, onde Vera alertou sobre a chegada do marido e então Ronaldo foi embora deixando saudades. Seu marido chegou por volta da 23hs, encontrando-a já dormindo.

Dois dias depois a campainha tocou, era um senhor, era da loja, outro montador, porém este não teve um atendimento especial, montou o armário e foi embora. Vera chegou a perguntar sobre o jovem Ronaldo e o senhor respondeu que o menino havia pedido demissão da loja. Vera ficou extremamente triste com a notícia.

Passado um mês, Vera estava na casa de uma grande amiga que reside no bairro ao lado. Elas conversavam sentadas nos degraus da escada de acesso a garagem. Vera contava empolgada sobre aquele a loucura que cometera, passando praticamente 12 horas transando com um jovem rapaz na própria cama que dormia com seu marido.

Foi quando um rapaz trajando terno e gravata tocou a campainha. As duas olharam para o rapaz, ambas admiradas com a beleza do mesmo e em seguida Vera beliscou o braço de sua amiga dizendo a suspiros:

- É ele.

Elas trocaram olhares e sorrisos maliciosos e seus pensamentos estavam sincronizados e depois lançaram sorrisos safados ao jovem.

E o rapaz com uma feição maliciosa no rosto, lhes disse:

- Vim lhes trazer a salvação!

Escrito por SenhorDosContos
* Ayeska obrigado por me deixar participar deste seu espaço, este conto escrevi especialmente para o seu blog. Possivelmente este é o último conto de o SenhorDosContos que está entrando numa fase que gosto de chamá-la de "A Grande Busca". Gostaria de lhe agradecer pelo carinho nestes anos todos, a você e todos meus leitores. Valeu muito a pena, e foi uma fase cheia de prazeres e desejos intensos! Um forte abraço a todos!

3 comentários:

vivian disse...

Tenho inveja de sua amizade com ela, pois não consegui mante-la! E tudo por causa de um homem...
Legal seu conto e sucesso!bjks

Ayeska disse...

Querido amigo, fiquei triste , mas eu havia percebido que vc está em busca de algo grandioso! Desejo-lhe toda a sorte e felicidade desse Mundo, pois vc merece! Me sinto afortunada por conhecer o homem por trás do senhordoscontos e de ser sua amiga, confidente e parceira de brincadeiras...rsrs Sabe que pode contar sempre comigo!E o que sou hj devo a vc!
Bjss de sua e sempre Amiga Ayeska

'Trilhas dos Anjos e Lobas' disse...

Parabens a vc Ayeska pelo belissimo blog e para o Senhor dos Contos, sentirei saudades do amigo sincero que desde que conheci tem demonstrado ser. Estarei em novo blog e espero a visita de vcs. bjinhosss...calientes 'Meu Senhor',bj grande a ti amiga linda. da sempre amiga 'Serena_loba uma Loba Serena'.
novo blog: http://euvcescritores.blogspot.com/